Apneia, o filme

Por Alexandre Inagakiquinta-feira, 06 de novembro de 2014

Thaila Ayala, Marjorie Estiano e Marisol Ribeiro em cena do filme Apneia.

São Paulo já foi retratada nos cinemas por meio de muitos bons filmes, dentre os quais meus favoritos são O Grande Momento (pequena obra-prima neo-realista de 1958, dirigida por Roberto Santos), o incrível São Paulo S/A (filmaço de 1965 de Luiz Sergio Person, com Walmor Chagas, Eva Wilma e Otelo Zeloni) e a comédia cult Fogo & Paixão (de 1988, da dupla Isay Weinfeld e Marcio Kogan), longa que talvez melhor tenha explorado as arquiteturas singulares desta metrópole. No entanto, é uma cidade que não é tão explorada quanto poderia ser na tela grande. Foi ótimo constatar, pois, que Apneia, o belo longa-metragem de estreia de Mauricio Eça – diretor habituado a mostrar SP em videoclipes como “Diário de um Detento” (Racionais MCs) e “Regina Let’s Go” (CPM 22) -, narra uma história urbana atual e relevante. Continue Lendo

Dez notinhas sobre as eleições

Por Henrique Abelquinta-feira, 23 de outubro de 2014

1 – Se você se acha muito consciente e bem informado por ser antipetista, saiba que você é vítima de uma ilusão autolisonjeira. Grande parte dos antipetistas ferrenhos acredita em bobagens e defende besteiras capazes de ser refutadas por dez minutos de estudo sério de história, economia e ciências sociais;

2 – Se você se acha muito consciente e bem informado por ser petista, saiba que você é vítima de uma ilusão autolisonjeira. Grande parte dos petistas ferrenhos acredita em bobagens e defende besteiras capazes de ser refutadas por dez minutos de estudo sério de história, economia e ciências sociais;

3 – Nenhum dos dois partidos que disputam a Presidência da República possui um bom histórico no que diz respeito à ética na política e a corrupção. Você pode tentar convencer a si e aos outros de que está votando em um deles “para combater a corrupção”, mas infelizmente os fatos não corroboram com a sua crença e o mais provável é que você esteja usando essa bandeira para justificar uma postura ideológica que você tem por razões bem diversas; Continue Lendo

Um vídeo que resume o espírito dos anos 90

Por Alexandre Inagakiterça-feira, 23 de setembro de 2014

rachelchandler

Em 1995, você não aguentava mais ouvir “Have You Ever Really Loved A Woman”, de Bryan Adams, tocando nas rádios. Mas a competição era dura com pagodes de sucesso como “Lá Vem o Negão” e “Marrom Bombom”. Se você estivesse numa danceteria, provavelmente estaria embalado por hits como “The Rhythm Of The Night” ou “Boombastic” (ou dançando na boquinha da garrafa, dependendo do lugar). Mas, ao menos em termos musicais, tudo o mais seria eclipsado a partir do momento em que alguns garotos de Guarulhos chegaram a bordo de uma Brasília amarela e a febre dos Mamonas Assassinas assolou o país. 1995, a propósito, também foi o ano de nascimento de Marina Ruy Barbosa e Bruna Marquezine. E, sim, eu notei que apareceram alguns cabelos brancos em suas madeixas quando você leu isso. Continue Lendo

De Volta Para o Futuro, quase 30 anos depois

Por Alexandre Inagakisexta-feira, 22 de agosto de 2014

Em De Volta Para o Futuro, Marty McFly fez uma viagem no tempo, retornando 30 anos no passado e acabando por modificar uma série de acontecimentos no momento presente. O filme, dirigido por Robert Zemeckis, mostrava os atores Lea Thompson (Lorraine McFly), Thomas F. Wilson (Biff Tannen) e Crispin Glover (George McFly) envelhecidos em três décadas a fim de simular essa passagem temporal. Pois bem: um usuário do Reddit publicou uma imagem (que vi graças ao Fábio Martinelli) comparando as feições do elenco de De Volta Para o Futuro durante as filmagens, iniciadas no final de 1984, com fotos atuais dos atores, quase trinta anos depois, mostrando que a ficção foi assombrosamente eficiente ao antecipar a vida real.

devoltaparaofuturoptbr Continue Lendo

Meus três centavos sobre as eleições presidenciais

Por Alexandre Inagakiquinta-feira, 21 de agosto de 2014

1centavo Se um candidato defender o fim definitivo e imediato de reeleições para cargos executivos, ganhará o meu voto. Creio que alternância de poder é fundamental para oxigenar as instituições, abrir espaços para a inovação e evitar que órgãos públicos sejam aparelhados por militantes de qualquer partido (algo que ocorre desde que a emenda constitucional permitindo reeleições foi aprovada durante o Governo FHC, diga-se de passagem). Além de todos os problemas citados, um candidato que participa de uma eleição tendo toda a máquina governamental a seu dispor gera disputas desleais e injustas.

1centavo Todo mundo tem direito a suas crenças pessoais, sejam elas de caráter ideológico, religioso, filosófico, sexual. Tampouco me importo se um candidato é católico, ateu, muçulmano, evangélico ou adepto da Igreja Jedi, desde que ele tenha plena consciência de que vivemos em uma nação laica, saiba respeitar crenças alheias e jamais misture suas convicções pessoais com seus deveres à frente de uma instituição pública.

1centavo Política é um tema fundamental, mas desanima tocar no assunto diante da pobreza e superficialidade das discussões, seja no horário eleitoral gratuito, seja nas redes sociais. Embora eu seja um cara que se interessa muito pelo assunto, acompanhando movimentações partidárias, propostas de governo, pesquisas eleitorais, yada yada yada, os comentários que costumam ser postados, quase que invariavelmente redigidos por pessoas que encaram preferências políticas como se fossem militantes de uma torcida organizada, são embebidos em raiva e insensatez. Diante desse cenário, não é de se estranhar que o cenário político atual seja tão árido.

* * *

P.S.: Deixo a cargo de Carlos Ruas, quadrinista e criador do Um Sábado Qualquer, a celestial observação final deste post.

manifestacaodedeus

  1. « Página anterior
  2. Próxima página »
  3. 1
  4. 2
  5. 3
  6. 4
  7. 5
  8. 6
  9. 7
  10. (...)
  11. 126
Pense Nisso! Alexandre Inagaki

Alexandre Inagaki é jornalista e consultor de comunicação em mídias digitais. É japaraguaio, cínico cênico. torcedor do Guarani Futebol Clube e futuro fundador do Clube dos Procrastinadores Anônimos. Já plantou semente de feijão em algodão, criou um tamagotchi (que acabou morrendo de fome) e mantém este blog. Luta para ser considerado mais do que um rosto bonitinho e não leva a sério pessoas que falam de si mesmas na terceira pessoa.

Parceiros

Mantra

A vida é boa e cheia de possibilidades.
A vida é boa e cheia de possibilidades.
A vida é boa e cheia de possibilidades.