Ouça as quatro músicas indicadas ao Oscar 2014 de Canção Original

Por Alexandre Inagakiquinta-feira, 16 de janeiro de 2014

O anúncio dos indicados ao Oscar 2014, apresentado por Chris Hemsworth e Cheryl Boone.

Foram anunciados os indicados ao Oscar 2014. Os vencedores da 86ª edição do Troféu Imprensa do cinema mundial serão anunciados no dia 2 de março, em Los Angeles.

É uma pena que meus candidatos favoritos à categoria de Melhor Canção Original, que constavam da pré-lista anunciada pela Academia em 16 de dezembro do ano passado, não foram indicados: “Last Mile Home”, gravada pelo Kings of Lion para a trilha sonora de Álbum de Família, e “Together”, do The xx, que integra a trilha de O Grande Gatsby. Continue Lendo

Solidão Moderna

Por Mentor Muniz Netoquarta-feira, 08 de janeiro de 2014

Os dois se conheceram há uns 40 anos, ainda no tempo do Facebook.
Ele morava em Sidney, na Austrália.
Ela morava em Uruguaiana, no Brasil.
Ele apareceu para ela como sugestão de amizade.
Ela deu um trago no cigarro e clicou em sua foto, só de farra.
O perfil dele era aberto.
Escrevia em inglês.
Só depois de uma hora, ela decidiu clicar na solicitação de amizade.
Ela nunca tinha feito isso.
Pedir a amizade de um desconhecido.
Mas a rotina daquele dia tinha sido especialmente cansativa.
Foi a maior loucura que fez no dia.
Ela era tímida.
Sofria para se relacionar ao vivo.
A solicitação foi na velocidade da luz até os servidores do Facebook nos Estados Unidos e de lá, pulando diversos nós de rede, bateu na tela dele, que respondeu instantaneamente.
Ele não fumava.
Era extrovertido, adorava conhecer gente.
Raramente checava o Facebook antes de sair para o escritório.
Mas naquele dia teria tantas reuniões que resolveu checar ainda de casa.
Aceitou a amizade de uma brasileira desconhecida.
E foi assim que começou. Continue Lendo

Pombos urbanos

Por Alexandre Inagakiterça-feira, 07 de janeiro de 2014

Algumas das lembranças mais marcantes de minha infância são as viagens que minha família fazia à cidade onde meus avós maternos moravam. Inúbia Paulista é uma cidade pequeníssima do interior de São Paulo, localizada a 578 km da capital. Tem pouco mais de três mil habitantes, ou seja, quase a mesma população do Edifício Copan, no centro de São Paulo. Ou, para usar uma comparação menos paulistana, pode-se dizer que seriam necessárias quase vinte e cinco Inúbias para lotar um Maracanã.

A cidade é uma verdadeira válvula de escape da neurose urbana. Mas nunca foi uma Pasárgada para mim: uma semana em Inúbia era o suficiente para morrer de tédio com a falta de opções de lazer. Em compensação, até hoje é possível colocar uma cadeira no meio da rua, sentar nela e se deliciar, no meio da noite, com o frescor das brisas desbloqueadas de edifícios, e com a beleza que é poder vislumbrar um céu limpo e cheio de estrelas.

Um de meus passatempos prediletos era o “lançamento de chinelos”. Sentados na varanda da casa de meus tios Michiko e Tsutomu, eu e meus irmãos balançávamos as pernas a fim de impulsionar nossas havaianas em direção à calçada do outro lado da rua, quase sempre deserta. Descalços, corríamos depois para recolher nossos chinelos, desviando das bostas dos cavalos das carroças que eventualmente passavam.

De chinelos na varanda.

Também ia muito à casa de meu avô, Shigueo, que criava porcos no quintal, geralmente destinados aos banquetes de Ano Novo. Gostava de arrancar folhas das bananeiras para alimentá-los, e depois ouvi-los mastigando a comida, quando eles oincavam de satisfação.

Mas meu passatempo predileto era assustar pombos. Continue Lendo

2013

Por Alexandre Inagakiterça-feira, 31 de dezembro de 2013

Papa Bento XVI renunciou e foi substituído pela personalidade do ano da Time. Snowden revelou as espionagens americanas. Obama está lendo suas DMs. Marco Civil da Internet teve o download interrompido. Dilma boladíssima cancelou a viagem aos EUA e deu uns rolês de moto. desculpetranstorno O braço direito de David Santos, ciclista, foi amputado e jogado em um córrego. Spider perdeu duas vezes para Weidman e quebrou a perna esquerda. Justin Bieber foi filmado dormindo, pichou muro e anunciou falsa aposentadoria. Essa carne é Friboi? Você faz o quadradinho de 8? Te mandei um Whatsapp. PRE-PA-RA. Ostentação agrega valor ao camarote? Twerking é uma variação gringa da surra de bunda? Há esperança na Síria? Mãe, no céu tem pão? Não à PEC 37! Manifestantes subiram a rampa do Congresso. Os beagles foram resgatados. Sandra Bullock ficou perdida no espaço. Ben Affleck é o novo Batman. Daniela Mercury não saiu do armário porque nunca esteve nele. Marco Feliciano não me representa. Continue Lendo

Cinco Tops 5 de 2013

Por Alexandre Inagakisegunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Emicida13

5 Músicas Nacionais de 2013:

1. Emicida – “Crisântemo”

Vida, morte, números, de neguinho
Aqui é cada um com a sua coroa de espinhos
Qual a sua droga? TV, erva?
Qual a sua droga? Solidão, cerva?”

Continue Lendo

Coisas que Porto Alegre tem nos supermercados

Por Alexandre Inagakiterça-feira, 24 de dezembro de 2013

Viajar para outros lugares e sentir uma espécie de estranhamento ao se deparar com outros hábitos e costumes é um sentimento normal, especialmente se você está no exterior. Mas, morando em um país de dimensões continentais como este, não é difícil se surpreender com costumes e expressões locais. Diga uma frase como “prove o cartola do Leite” a qualquer brasileiro que não more no Recife, por exemplo, e veja a expressão confusa no rosto de quem nunca ouviu falar em um dos restaurantes mais antigos do país, e ainda não teve o prazer de provar uma das sobremesas mais saborosas da Terra Brasilis.

E é assim que, enquanto em São Paulo pessoas chupam mexericas enquanto tomam sol, em Porto Alegre elas lagarteam comendo bergamotas. Mas não é só nas expressões que as duas cidades que mais frequentei em 2013 se diferenciam. E basta fazer o rancho em um supermercado gaúcho para me deparar com coisas que eu dificilmente encontraria em Sampa. Alguns dos itens citados neste post provavelmente também devem ser comuns em outros estados do Sul, mas só vim a conhecê-los mesmo em minhas andanças pelas terras gaudérias, após estar devidamente familiarizado com hábitos como comer um xis, tomar um chimas até roncar a cuia, curtir o pôr do sol do Guaíba, dar umas bandas até a Cidade Baixa, comprar bugigangas no Brique da Redenção, se empanturrar com café colonial em Gramado (ou com o filé à parmegiana do Tudo Pelo Social), entender que em Forno Alegre faz um calor de desmaiar o Batista, pegar a freeway e viajar pra ver o chocolatão, descobrir as mil e uma diferentes conotações da interjeição “bah!” e chamar a namorada de prenda minha, tchê!

* * * * *

CuecaVirada

Quando vi pela primeira vez o nome desse doce numa gôndola em Porto Alegre, ele era chamado de calça virada, alcunha suficiente para me chamar a atenção. Só depois descobri que aquela era uma denominação mais família, e que seu nome mais roots é cueca virada. O verbete na Wikipedia para este doce feito de massa caseira frita e coberta com açúcar, explicando a origem do nome, tem um trecho que precisa ser citado na íntegra por aqui: Continue Lendo

Um dia com o Galaxy Tab 3 10.1”

Por Publieditorialquarta-feira, 18 de dezembro de 2013

CaixaFechadaTab3

Recebi um Samsung Galaxy Tab 3 de 10.1 polegadas com a missão de testar sua performance, avaliar seu uso no dia a dia e conferir se seria um tablet capaz de aguentar o tranco das minhas atividades diárias. Eu, tendo a oportunidade de poder experimentar um brinquedinho bacana desses, aceitei com prazer o desafio de testar seus recursos. Como estava viajando, só ontem pude pegar o Galaxy Tab 3 10.1”, mas o pouco tempo para testá-lo não foi problema para mim: em pouco mais de uma hora mexi nas configurações básicas, fiz a integração do tablet com minha conta do Google, baixei livros, músicas e jogos, instalei Netflix e Instagram, fucei seus vários recursos e me diverti bastante com o lançamento mais recente da Samsung. Continue Lendo

  1. « Página anterior
  2. Próxima página »
  3. 1
  4. (...)
  5. 4
  6. 5
  7. 6
  8. 7
  9. 8
  10. (...)
  11. 87
Pense Nisso! Alexandre Inagaki

Alexandre Inagaki é jornalista e consultor de comunicação em mídias digitais. É japaraguaio, cínico cênico. torcedor do Guarani Futebol Clube e futuro fundador do Clube dos Procrastinadores Anônimos. Já plantou semente de feijão em algodão, criou um tamagotchi (que acabou morrendo de fome) e mantém este blog. Luta para ser considerado mais do que um rosto bonitinho e não leva a sério pessoas que falam de si mesmas na terceira pessoa.

Parceiros

Mantra

A vida é boa e cheia de possibilidades.
A vida é boa e cheia de possibilidades.
A vida é boa e cheia de possibilidades.