Um dia com o Galaxy Tab 3 10.1”

Por Publieditorialquarta-feira, 18 de dezembro de 2013

CaixaFechadaTab3

Recebi um Samsung Galaxy Tab 3 de 10.1 polegadas com a missão de testar sua performance, avaliar seu uso no dia a dia e conferir se seria um tablet capaz de aguentar o tranco das minhas atividades diárias. Eu, tendo a oportunidade de poder experimentar um brinquedinho bacana desses, aceitei com prazer o desafio de testar seus recursos. Como estava viajando, só ontem pude pegar o Galaxy Tab 3 10.1”, mas o pouco tempo para testá-lo não foi problema para mim: em pouco mais de uma hora mexi nas configurações básicas, fiz a integração do tablet com minha conta do Google, baixei livros, músicas e jogos, instalei Netflix e Instagram, fucei seus vários recursos e me diverti bastante com o lançamento mais recente da Samsung. Continue Lendo

A surpreendente (ao menos para mim) lista das 50 músicas mais tocadas nas rádios do Brasil em 2013

Por Alexandre Inagakiterça-feira, 17 de dezembro de 2013

A impressão que tive quando vi a lista das músicas mais tocadas nas rádios do Brasil em 2013, segundo levantamento feito pela Crowley Broadcast Analysis, foi similar à perplexidade que tenho naquele momento In Memoriam da cerimônia do Oscar, quando são homenageados todos os profissionais da indústria cinematográfica que faleceram em determinado ano, e me surpreendo ao descobrir que certo ator ou diretor havia morrido e eu nem sabia ainda. Do mesmo modo, fiquei realmente surpreso ao constatar que só conhecia 31 das 50 músicas que constam no Top 50 das rádios brasileiras.

O top 50 de músicas mais tocadas nas rádios brasileiras em 2013 segundo a Crowley Brasil.

dinhopalhacoA matéria do G1 destacou a queda de popularidade do rock. Entre as 50 mais tocadas, só “Meu Novo Mundo”, do Charlie Brown Jr., representa o rock nacional. No Top 100, aparecem apenas duas outras faixas: “Anjos (Pra Quem Tem Fé)”, do Rappa, e “Tempos Modernos”, regravação do hit de Lulu Santos feita pelo Jota Quest para a trilha sonora de Malhação. À primeira vista, uma constatação simples: o rock mainstream brasileiro nunca esteve tão em baixa, dependendo de arroubos de inspiração de bandas surgidas nos anos 80 e 90 para se destacar nas rádios. Mas, em tempos de YouTube, Deezer, Soundcloud, Spotify e inúmeros sites e blogs dedicados à música, será que novos grupos ainda precisam tocar em AMs e FMs para divulgarem seus trabalhos? Vale a reflexão. Continue Lendo

Objetos reais virando desenhos mágicos nas ilustrações de Javier Pérez

Por Alexandre Inagakidomingo, 15 de dezembro de 2013

Alien

Javier Pérez é um ilustrador e animador equatoriano que se tornou conhecido no mundo todo graças à maneira com que transforma objetos comuns, como prendedores de roupa, grampeadores ou cachos de uva, em instrumentos musicais, animais e monstros de ficção científica, através de desenhos simples e criativos.

Cadernossauro Continue Lendo

Fotos, decorações e ideias para o Natal mais bizarro de todos os tempos

Por Alexandre Inagakisexta-feira, 13 de dezembro de 2013

sustentavelmashorrivel

Quando vi essa decoração natalina, numa rua de Torres, não pude resistir à compulsão de registrá-la numa foto. Afinal de contas, taí um Papai Noel que combina mais com o Halloween do que com o Natal. E que, convenhamos, é sustentável, mas é horrível.

* * *

NatalWTF

Taí um chocolate natalino que não é Kinder Ovo, mas também reserva uma surpresa. :P Continue Lendo

Tã-tã-tã-tã-tã

Por Gabriel Loubackquinta-feira, 05 de dezembro de 2013

No final de semana fiquei 30 minutos preso em uma fila de carros para sair do estacionamento de um shopping. Motivos à parte, as pessoas começaram a buzinar depois de uns 10 minutos. Até que demorou, mas quando começou, ficou ensurdecedor. Pais tapavam os ouvidos de seus pequenos enquanto caminhavam pelo estacionamento.

Minha esposa, então, sugeriu: “E se você buzinasse ‘Tã-tã-tã-tã-tã’ e esperasse ver se alguém completa com ‘Tã-tã’?”

[A melodia -- ou ritmo -- é o que vemos no filme do Roger Rabbit quando o Christopher Lloyd quer provocar o coelho a sair de trás da parede.]

Esperei uma pequena pausa no buzinaço e puxei algumas vezes a buzina que convidava os outros carros a completarem.

“Se vai buzinar, que seja pra se divertir, né?” ela comentou comigo. Continue Lendo

Trecho de A Comédia Mundana, de Luiz Biajoni

Por Luiz Biajonisegunda-feira, 02 de dezembro de 2013

ATENÇÃO: você está prestes a ler um trecho de A Comédia Mundana, livro do meu amigo Luiz Biajoni que reúne três novelas policiais com nomes brejeiramente sugestivos: “Sexo Anal (Uma Novela Marrom)”, “Buceta (Uma Novela Cor de Rosa)” e “Boquete (Uma Novela Vermelha)”. Recomendo, pois, a leitores mais sensíveis, que cliquem aqui. Caso contrário, deleite-se com o teaser a seguir e encomende desde já um exemplar de A Comédia Mundana no site da Livraria Cultura.

* * *

Capa de A Comédia Mundana, com ilustração do mestre José Benício Fonseca.O céu estava bem azul, sem nuvens. O clima, quieto. Nem as folhas das árvores balançavam. O sol estava quente, embora não fossem ainda sete da manhã. Ninguém passava por ali, ninguém viu quando Vermelho abriu a porta e saiu de dentro da casa, segurando um balde cheio.

Debaixo do outro braço, ele tinha uma brocha larga e nova. Olhou para os lados, como se procurasse alguém, sentiu o ar fresco entrar em seus pulmões e caminhou até à frente da casa principal. Estava agora bem diante daquele amarelo esmaecido, que lhe causava enjoo. Olhou com cuidado. A cor pálida, toda craquelada, era realmente horrível. Era uma casa sem vida, sem cor, desbotada. O ânimo dele estava assim também.

Há muito tempo que ele queria isso, pintar a casa de vermelho, a sua cor, o seu nome. Não era um pedido complicado, não havia nenhum sacrifício. Sara não queria, gostava do amarelo, tinha trauma de casas pintadas de vermelho. Mas ele ia pintar. Continue Lendo

30 de novembro é #DiaDeDoar

Por Alexandre Inagakisexta-feira, 29 de novembro de 2013

Comerciais de TV e perfis em redes sociais não param de falar na Black Friday. E, ok, apesar da encheção de saco trazida por tudo que se torna monotemático, não há nada de errado em aproveitar descontos e saciar alguns desejos de consumo. Mas… por que não quebrar a rotina desse ciclo consumista e lembrar de ajudar pessoas que necessitam de algum tipo de auxílio? Afinal de contas, você deve ter 1 real sobrando, provavelmente guarda no armário agasalhos e calças que não usa mais e que possam ser passados adiante, ou talvez possua algum tempo livre que possa ser ocupado com trabalhos voluntários, não?

Faça uma doação e compartilhe seu ato usando a hashtag #DiaDeDoar.Não dá para ignorar os problemas sociais, as consequências da falta de acesso a saúde e educação de qualidade, a poluição e os efeitos que as mudanças climáticas causam no nosso cotidiano, enfim, todos os indícios de que a sociedade e este planeta precisam de ajuda. Ok, podemos até fazer um cosplay de avestruz que esconde a cabeça debaixo da terra, fingindo que não temos nada a ver com todos esses problemas. Ou dar a nossa parcela de contribuição para que este mundo se torne um pouco melhor. Continue Lendo

  1. « Página anterior
  2. Próxima página »
  3. 1
  4. (...)
  5. 4
  6. 5
  7. 6
  8. 7
  9. 8
  10. (...)
  11. 86
Pense Nisso! Alexandre Inagaki

Alexandre Inagaki é jornalista e consultor de comunicação em mídias digitais. É japaraguaio, cínico cênico. torcedor do Guarani Futebol Clube e futuro fundador do Clube dos Procrastinadores Anônimos. Já plantou semente de feijão em algodão, criou um tamagotchi (que acabou morrendo de fome) e mantém este blog. Luta para ser considerado mais do que um rosto bonitinho e não leva a sério pessoas que falam de si mesmas na terceira pessoa.

Parceiros

Mantra

A vida é boa e cheia de possibilidades.
A vida é boa e cheia de possibilidades.
A vida é boa e cheia de possibilidades.