Charlie Brown, a garotinha ruiva e o tal do amor

Por Alexandre Inagakiterça-feira, 03 de abril de 2007

De todas as criações de Charles Schulz, nenhuma me foi tão marcante quanto a garotinha ruiva, símbolo-mor de todos os amores idílicos e nunca concretizados.

Snoopy, tentando fazer (sem sucesso) seu dono esquecer da garotinha ruiva.Pobre Charlie Brown. Todos nós sentimos compaixão por ele, porque ele simboliza todas as nossas frustrações, inseguranças e fracassos na vida. O que dizer de alguém que não recebeu um cartão sequer no Dia dos Namorados, jamais conseguiu fazer voar uma pipa porque todas enganchavam em alguma árvore, nunca ganhou um jogo de beisebol (e nem chutar as bolas seguradas pela Lucy) e, principalmente, jamais teve coragem para falar com a garotinha ruiva e confessar o seu amor?

Questiona Charlie em uma das tiras dos Peanuts: “mas o amor não existe para fazer a gente feliz?” Nem sempre, Minduim, nem sempre. Que o digam as angústias caladas, os sentimentos represados, as inseguranças que atormentam uma pessoa enredada pelo vórtice da paixão. Tal como na Quadrilha de Drummond, os personagens de Schulz sofrem com amores não-correspondidos. Sally ama Linus que ama sua professora; Lucy ama Schroeder que ama Beethoven; Patty Pimentinha ama Charlie Brown que ama a garotinha ruiva. E, assim como Linus aguarda em vão pela chegada da Grande Abóbora (nos mesmos moldes da espera de Estragon e Wladimir por Godot), a turma do Snoopy ama infrutiferamente. Nós, que somos leitores e espectadores voyeurs da obra de Schulz, rimos com suas histórias. E no entanto esse sorriso é banhado por melancolia, porque todos nós já tivemos um momento Charlie Brown em algum instante de nossas vidas.

Eis a famosa garotinha ruiva, que nunca apareceu nas tiras de jornais dos Peanuts.Quem acompanhou as histórias de Snoopy e sua turma através dos desenhos exibidos todo domingo à noite no SBT pode me questionar: ué, mas Charlie não chegou a beijar a garotinha ruiva uma vez? Sim: foi no especial para a TV “It’s Your First Kiss, Charlie Brown“, produzido em 1977. Contudo, vale a pena ressaltar que ela jamais foi mostrada em uma tira sequer (a não ser por meio de menções feitas por outros personagens), e que sua aparição no desenho animado foi realizada à revelia de Schulz. A propósito, os produtores do programa deram até mesmo um nome para a garotinha ruiva: Heather.

Para os puristas (incluo-me entre eles), essa aparição é apócrifa e completamente oposta ao espírito original da personagem. Afinal de contas, como nomear ou dar face ao Mistério? Porque a garotinha ruiva nada mais é do que a metáfora daquele amor idílico que perseguimos na juventude: aquele amor que jamais terá rugas ou saldo negativo no banco, que nunca pendurará calcinhas no chuveiro ou esquecerá de levantar a tampa do vaso sanitário, e que permanecerá para sempre imaculado e perfeito em nossos sonhos platônicos.

* * * * *

Clique aqui para adquirir a coletânea lançada pela Conrad Editora.P.S. 1:Snoopy, Eu te Amo – O Amor em Forma de Tirinhas Apaixonadas” é uma antologia das tiras sobre o amor (e suas incertezas) de Charles Schulz, artista que, de 1950 a 2000, criou cerca de 17 mil tiras, todas elas escritas, desenhadas e arte-finalizadas por ele mesmo. A propósito, vale a pena transcrever uma declaração que Schulz fez sobre o tema do livro: “There’s something funny about unrequited love – I suppose it’s because we can all identify with it. We’ve all been turned down by someone we love, and it’s probably the most bitter blow in life“.

P.S. 2: Blog imperdível para fãs de Charlie Brown e sua turma: Tiras Snoopy.

Pense Nisso!
Alexandre Inagaki

Alexandre Inagaki é jornalista, consultor de projetos de comunicação digital, japaraguaio, cínico cênico, poeta bissexto, air drummer, fã de Cortázar, Cabral, Mizoguchi, Gaiman e Hitchcock, torcedor do Guarani Futebol Clube, leonino e futuro fundador do Clube dos Procrastinadores Anônimos, não necessariamente nesta ordem.

Categorias:

Comentários do Facebook

Comentários do Blog

  • Pingback: Aulas de dança com Snoopy, folhas e coelhinhos - Pensar Enlouquece, Pense Nisso

  • Glaucia Goncalves

    Comigo é o contrário, sou a garotinha ruiva que sofre pelo Charlie Brown.

  • Carlos Levi

    Saudades, bons tempos de poder sonhar com a garotinha ruiva. Uma das coisas mais bonitas que vi na vida foi o episodio que o Charlie tenta falar com a Garotinha Ruiva antes de começarem as férias, no final ele corre e ela vai embora, mas ai surge “O BILHETE”…. 

  • Erivelto

    “Há algo engraçado sobre o amor não correspondido  - acho que é porque todos podemos nos identificar com ele. Todos nós já fomos rejeitados por alguém que amamos, e é provavelmente o mais duro golpe na vida”!

  • Pingback: 60 anos de Snoopy e a turma do Charlie Brown | Pensar Enlouquece, Pense Nisso

  • Cyci

    Sensacional.

  • nagila vial

    Amo essa turma não existe nada comparado a eles

  • http://www.savetovalistezabebe.com Savetovaliste Za Bebe

    Alexandre, existe um link no logotipo do seu blog que está grande demais e chega a tapar o começo do texto. Fica impossível clicar no primeiro link desse post. Se você abrir pelo FireFox não consegue ver direito, mas o IE mostra a borda do controle e dá pra ver direito até onde ele tapa o texto.

  • monica

    adoooro..’Só’ isso!!Ah e seu blog é muito bom!!

  • http://Google Izabella

    AdoroOoOoOo o Lino!!

    Emotivamente retardado, mas intelectualmente precosse…

  • Thiago Lopes

    Gostei do texto sobre a garotinha ruiva.
    Já pararam para imaginar como seria o nosso amado Charlie Brown adulto? Sinceramente não consigo imaginar mas pela sua personalidade ele se tornasse um escritor de romances, frustrado e deprimido. talves um analista ou quem sabe o pior dos pacientes de um deles =D
    Mas uma coisa é certa; Charlie Brown é um personagem ao qual todos se identificam e ao qual passamos a entende-lo apenas quando adulto. Hoje tenho certeza que snoopy não é uma simples tirinha(ou desenho) feito para crinças pois existe uma forma de pensamento muito forte.
    Mas conevenhamos; Sendo para crinça ou adulto amaremos essa turminha para sempre!

  • debora silva

    eu amo snoopy

  • ricardo laranjeira

    “a vida é uma droga”
    charlie brown é um grande personagem, sempre se questionando sobre seus problemas de maneira irónica e seca.
    não é o ideal de desenho para crianças, pois trata temas de crises existenciais e aplicaveis a propria vida real.
    realmente sinto falta dos dialogos entre ele e o linus. =)

  • Danilo

    a turma do charlie brown é um clássico,como não lembrar do famoso Minduim e suas famosas aventuras.E o seu cão Snoopy que é melhor do que seu próprio dono. Roberta, eu não sei onde encontrar mas sei que o nome desse episódio é: O PESADELO DE SNOOPY.

  • Roberta Saraiva

    Olá Pessoal!!
    A turma do Minduin fez parte da minha infância!!Os desenhos do Snoopy são o máximo e as músicas deixam ainda algo de elegância no ar!! Ah, alguém sabe me dizer se no You tube eu acho akele episódio em ki o Snoopy come demais e vai dormir…daí ele tem um pesadelo em ki ele está junto a um monte de lobos grandes que levam várias chicotadas…Se alguém tiver esse vídeo me fala onde encontro!!
    Bjus a Todos!!
    Roberta Saraiva

    Roberta, o usuário Duduleblon2006 postou alguns trechos desse episódio que você citou no YouTube. Eis um exemplo logo abaixo:

  • http://www.fotocapital.blogspot.com Blogueiro

    Interessante, nunca havia parado para pensar em toda a história existente por trás das tirinhas do Snoopy, sensacional o seu post!
    ”Porque a garotinha ruiva nada mais é do que a metáfora daquele amor idílico que perseguimos na juventude: aquele amor que jamais terá rugas ou saldo negativo no banco, que nunca pendurará calcinhas no chuveiro ou esquecerá de levantar a tampa do vaso sanitário, e que permanecerá para sempre imaculado e perfeito em nossos sonhos platônicos.”

  • http://www.eu-estou-aki-blogspot.com elsa nyny

    Passei por cá…
    Venho convidar-te a juntar as tuas mãos por uma NOBRE CAUSA!
    BJT

  • flavia

    Adoro os desenhos do snoopy; tem três episódios que eu amo: o dia das bruxas que o chalie brown só ganhava pedras enquanto os outros ganhavam guloseimas,o episódio do cãozinho da páscoa, que a Márcia faz uma sopa com os ovos ao invés de cozinhá-los, e um episódio que a Pimentinha vai participar de um campeonato de patinação e o woodstock assovia a música para ela patinar, porque o som está quebrado.Gostaria de ter todos em dvd.

  • http://www.exiliodalenda.blogspot.com lendari0

    esse post me lembrou de como é bom sonhar, e como é dificil ser achincalhado por causa disso.

  • http://ewwww.wordpress.com/ jv

    caraca,meu,agora vc me fez relembrar momentos da minha infância!
    snoopy??
    adoroooo!

  • http://esquizophonia.idearios.com.br klo

    Eu já dei esse livro do Snoopy de presente. É lindo demais.

  • http://piggy-sakura.blogspot.com kiyomi

    Gostei do post sobre “a garotinha ruiva”. Não lembrava do desenho animado, porém nas tirinhas ficava na incógnita, estimulando a imaginação de todos que já tiveram ou ainda têm esse amor platônico…

  • http://www.lauravive.blogspot.com laura

    Delícia de post :)

  • Cíntia

    Muito bom post, como sempre. Agora que eu já tinha acostumado que cada terça-feira pegava meu café e vinha ler o blog, vejo que terei que aumentar a freqüência.

    Ah a garotinha ruiva… nao sei se muitas de nós continuam buscando o garotinho ruivo, ou se muitas de nós buscam alguém que a ame como nosso amigo amaria a garotinha ruiva (depois sempre vem a dúvida de será que a gente nao ia enjoar?). Acho que é o que têm os amores platônicos, quando se realizam perdem essa aura mágica que faz com que cada um se inspire ou se sinta um pouco musa. Por isso fica tao sem graça vê-lo beijar a garotinha ruiva: nenhuma realidade seria suficientemente boa pra tanta expectativa.

    Resumo perfeito da história. Aliás, aproveito o seu ótimo comentário, Cíntia, para linkar a Conversa de Bar que tive com meus amigos Renata Parpolov e Ian Black a respeito de amores platônicos.

  • Iractan

    Obrigado pelo resumo.
    Esclareceu a dúvida.
    Abraços e bom trabalho.

    Ôpa! Servimos bem pra servir sempre!

  • Anônimo

    como sempre, obrigado!

  • http://www.gardenal.org/ressacamoral Wilson Cremonese

    Garoto, garoto.
    Obrigado pela dupla lembrança: a das sempre bem vindas desventuras de Minduim, e da data que se passa.
    Abraços.

  • http://ideiasnajanela.blogspot.com Kandy

    Sabe, eu dava aulas de inglês para um executivo que adorava os desenhos do Snoopy. Na hora do desenho, ele dizia “olha, Kandy, sorry, mas eu preciso assistir o Snoopy, não é legal?”. Sempre vou me lembrar desse cara, muito gente boa por sinal, quando ouvir falar em Snoopy. Esse simpático cachorrinho também era o personagem favorito do meu irmão na infância. Mas eu sempre me identifiquei muito mais com o Charlie Brown. Ele tem uma sensibilidade tocante que ninguém alcança, é terno, complexo e por vezes melancólico. Eu, como ele, nunca recebi um cartão de Dia dos Namorados. Mas, também como ele, posso dizer que, quando amo, amo de verdade…

  • http://www.mundogump.blogspot.com Philipe Kling David

    Eu gosto do snoopy e seus amigos. Mas acho que o beijo na menina ruiva foi como mostrar a cara do Darth Vader.
    Queria te convidar para ir ao meu bliog. Seria um prazer trocar links com você.

  • Iractan

    Como não vi o episódio completo na TV, ocorreu-me uma dúvida pelo trecho postado.
    Ele não estava apenas sonhando?
    Foi o que pareceu.

    Um resumo rápido: Charlie Brown beija enfim a garotinha ruiva e entra numa espécie de transe. Dança com todas as garotas do baile e vira a atração da festa. Só que no dia seguinte, ao acordar, não lembra de absolutamente nada do que aconteceu. E só descobre que arrasou no baile e teve a melhor noite de toda a sua vida em uma conversa com o Linus, na manhã seguinte. Que puxa!

  • http://enquantoda.blogspot.com rOsI

    Acho que a garotinha ruiva é um ícone mais dos meninos, principalmente naquele momento horrendo em que elas se tornam inacessíveis e não querem mais brincar junto. Agora, Snoopy é um desenho que de infantil não tem nada e até para adulto trata temas difíceis e insólitos. Quiném o Calvin.

    Hmm. Mas eu tenho amigas que ainda procuram pelo “garotinho ruivo” da vida delas. De qualquer modo, concordo com a segunda parte: Snoopy e Calvin são dois personagens que disfarçam-se de infantis para tratar de temas universais. Como as melhores criações da ficção, sejam elas oriundas de quadrinhos, cinema ou literatura.

  • http://www.somnoblog.com Anderson

    Nossa, vc resgatou essa! Fantástico.
    E eu procurando o nome do desenho em que ele dava esse primeiro beijo. Assisti isso na TV há muito tempo atrás.

  • http://www.bricabraque.com/blog/ Elesbão

    Snooooooooooooopy
    Versão Maga, dublada nos estúdios da Tê Vê eSse.

  • http://www.quepuxa.com.br Patrícia Gresta

    Oi, Alexandre! Adorei o posto sobre o Charlie Brown. Snoopy foi o desenho que mais marcou a minha infância e sou fã até hoje. Sou chamada por muitos amigos de Pat Pimentinha, desde pequena.
    Adorei. Obrigada pela visita.
    Abraço,
    Patrícia

  • http://locutorius.blogspot.com simone iwasso

    é o meu desenho preferido, até hoje!

  • Junior

    Foi justamente por este texto que encontrei esse blog, e a 3 anos atras foi tão apropriado para o meu momento quanto injusto ao meu intelecto.
    Feliz ou infelizmente, sou réu confesso e re-incidente. Meu perfil do orkut foi feito baseado em um jogral que voce e outros bloggers fizeram, e o questionamento “mas o amor não existe para fazer a gente feliz?” é a espinha dorsal dele.
    Hoje não sei direito como definir, se é hilário ou ironico, mas hoje amo e sou amado, e minha amada sequer considera a hipotese de mudar o perfil.
    =)

    Junior, que bom saber que você encontrou o lado bom do amor. :) Pretexto para eu recitar pela enésima vez meu mantra: a vida é boa e cheia de possibilidades.

  • http://naminhahumildeopiniao.blogger.com.br Rafael

    Alexandre, existe um link no logotipo do seu blog que está grande demais e chega a tapar o começo do texto. Fica impossível clicar no primeiro link desse post. Se você abrir pelo FireFox não consegue ver direito, mas o IE mostra a borda do controle e dá pra ver direito até onde ele tapa o texto.

    [s]

    Boa observação, Rafael. Vou acionar a equipe técnica da Pensar Enlouquece Blogging Corporations para tentar resolver esse bug. Obrigado pelo feedback!

  • http://prosaico20mg.blogspot.com Celinho

    So uma observaçao: sei que tem a ver com a minha lembrança pessoal, mas para mim a dublagem do Marcelo Gastaldi é genial e indissociavel do desenho da TV.
    Abraço!

    Ótima lembrança. Também estranho quando assisto aos desenhos do Snoopy sem a voz dos dubladores na versão que era exibida no SBT, aos sábados, logo depois do programa do Menudo. :P

  • http://trentfernandes.blogspot.com trent fernandes

    eu simplesmente amava ver o minduim e achoq ue nunca realmnete deixarei de gostar [nem acho que haja motivos para isso] e confesso que fiquie decepcionado qaundo ele beijou a menina ruiva. Ela deveria ter permanecido um mistério, uma incognita na nossa imaginação… o nosso amor que ainda está para chegar, o nosso amor que não nos corresponde, o nosso amor platôncio, o nosso amor incondicional…
    kudos. seu blog/site é mesmo ótimo.

Pense Nisso! Alexandre Inagaki

Alexandre Inagaki é jornalista e consultor de comunicação em mídias digitais. É japaraguaio, cínico cênico. torcedor do Guarani Futebol Clube e futuro fundador do Clube dos Procrastinadores Anônimos. Já plantou semente de feijão em algodão, criou um tamagotchi (que acabou morrendo de fome) e mantém este blog. Luta para ser considerado mais do que um rosto bonitinho e não leva a sério pessoas que falam de si mesmas na terceira pessoa.

Parceiros

Mantra

A vida é boa e cheia de possibilidades.
A vida é boa e cheia de possibilidades.
A vida é boa e cheia de possibilidades.