Mônica cresceu, apareceu e me fez envelhecer

Por Alexandre Inagakisegunda-feira, 24 de novembro de 2008

Já faz algum tempo que chegaram às livrarias e bancas de jornais as aventuras da Turma da Mônica jovem, que mostram os personagens clássicos de Maurício de Sousa em versões adolescentes e traços característicos de mangá. Eu, que quando pirralho devorava com prazer as histórias dos planos “infalíveis” do Cebolinha e do Cascão, confesso que não dei a menor pelota quando saíram os primeiros números dessa fase teen da Mônica. Mas ontem, quando caiu um aguaceiro em São Paulo e fui obrigado a ficar mais tempo do que o planejado na Fnac da Paulista, folheei pela primeira vez um desses exemplares da versão Malhação da turma da Mônica, e fiquei estarrecido ao descobrir, enfim, novidades que já haviam abalado outros blogueiros como a trupe do Melhores do Mundo.

Cascão fazendo sua higiene pessoal.

Pois é. Tive de ficar preso em uma livraria para descobrir que os personagens da minha infância foram atacados pela sanha politicamente correta que fez com que a Magali deixasse de ser a glutona de sempre para passar a se alimentar de maneira balanceada; para saber que o Cebolinha, após tratar-se com uma fonoaudióloga, estava deixando de trocar o “r” pelo “l”; e para descobrir que o Cascão traiu o movimento, véi, foi cooptado pelo establishment e agora toma banho. Mas o choque maior não foi causado pelo mangá da Turma da Mônica jovem, e sim pela capa de outra revista, a Sax.

Mônica em versão sexy na capa da revista Sax.Esqueçam aquela Mônica baixinha, gorducha, rabugenta e que surrava os meninos da vizinhança com seu coelho de pelúcia. A edição deste mês da revista Sax estampa em sua capa o desenho de uma adolescente peituda, sensual, com correntinha no tornozelo, um sorriso e uma piscadela faceira no rosto. Mônica cresceu, apareceu e exibiu uma faceta sexy que o leitor de quadrinhos aqui jamais tinha imaginado. Para mim, foi um impacto quase similar ao do dia em que vi a Simony da Turma do Balão Mágico pelada na revista Playboy de dezembro de 1994, quando vi um ícone da minha infância despir-se, fazendo com que os primeiros fios de cabelos brancos brotassem em minha cabeça.

Eu compreendo os motivos que fizeram com que Maurício de Sousa promovesse essa versão adolescente. Muitos consumidores como eu há tempos haviam deixado de ler os gibis da turma da Mônica, e ele quis que seus personagens acompanhassem o crescimento de seus leitores. O sucesso comercial de sua nova empreitada é inegável; como reporta o site Universo HQ, a nova publicação já emplacou a lista de livros de ficção mais vendidos do jornal O Estado de S.Paulo. E eu sei que vai soar a reclamação de fã purista, mas não posso deixar de sentir um certo incômodo ao constatar que, movidos por essa necessidade atávica atual de se dar “bons” exemplos à juventude, as principais características dos personagens clássicos de Maurício de Sousa foram deixadas de lado nessa versão mangá. E, pior do que saber que o Anjinho agora se chama Céuboy, foi constatar que aqueles garotos perderam as suas peculiariedades, tornando-se normais e pasteurizados feito todo mundo. Foi como ver o Calvin deixando sua imaginação hiperativa de lado, encarando o Haroldo como um simples boneco de pelúcia na tira mais triste de todos os tempos.

Um dos wallpapers disponíveis no site da Turma da Mônica jovem.Enfim, o fato é que envelheci. Essas histórias da nova fase da turma da Mônica são destinadas a um público muito diverso, eu definitivamente não pertenço ao target dessa publicação. Certamente há leitores de sobra para essas novas aventuras, da mesma maneira que deve ter gente que gostou de ver os desenhos nos quais a Pantera Cor-de-Rosa falava, Tom e Jerry também ganharam vozes e tornaram-se melhores amiguinhos e o Pica-Pau deixou de ser o psicótico insano e sacana das animações dos anos 40 e virou um pássaro domesticadamente sonso, preocupado em dar bons exemplos para seus sobrinhos Toquito e Lasquita.

* * * * *

P.S. 1: Pra não dizer que tudo são espinhos, foi bacana ver que as histórias da Turma da Mônica Jovem vieram com os créditos devidamente discriminados, dando aos leitores a oportunidade de saber quem foi o roteirista e o desenhista de cada HQ. Eu, que havia comentado o assunto há quase três anos no post “Bloguinho e a questão dos créditos em HQs”, parabenizo Maurício de Sousa por ter revisto sua postura anterior.

P.S. 2: A julgar pelo teaser abaixo, mais novidades retumbantes vem por aí nessa fase Malhação da turma da Mônica…

Mônica e Cebolinha acabam com sua situação mal-resolvida e se beijam.

Confiram: o beijo de Mônica e Cebolinha na revista “Turma da Mônica Jovem”.

P.S. 3: O leitor Akira deixou nos comentários deste post uma imagem do gibi da Turma da Mônica Jovem na qual Anjinho e Franjinha, agora rebatizados como Céuboy (ou… Crêuboy?) e Franja, trocam diálogos de uma sapiência irada:

- Aqui a parada é frenética. O bate-saco rola à vera. 100% prostituto!!!

- Muleke piranha!!!

Clique aqui para ver a imagem no tamanho original

P.S. 4: Os leitores Daniel F. Silva e Ana Margarites me alertaram para o fato de que a imagem que publiquei no P.S. anterior é apenas uma montagem. :)

Pense Nisso!
Alexandre Inagaki

Alexandre Inagaki é jornalista, consultor de projetos de comunicação digital, japaraguaio, cínico cênico, poeta bissexto, air drummer, fã de Cortázar, Cabral, Mizoguchi, Gaiman e Hitchcock, torcedor do Guarani Futebol Clube, leonino e futuro fundador do Clube dos Procrastinadores Anônimos, não necessariamente nesta ordem.

Categorias:

Comentários do Facebook

Comentários do Blog

  • Pingback: Mônica Toy e a capacidade de reinvenção da Mauricio de Sousa Produções - Pensar Enlouquece, Pense Nisso

  • Claudio

    Não dá pra ver o video, postar video privado é sacanagem.

  • beatriz

    adoro a MAGALI

  • Josemarianegreiros

    BARACK OBAMA, É QUE É O CARA !   BARACK OBAMA É UM GRANDE SUJEITO ! PARA O BEM DO SEU PAÍS E DO MUNDO, ELE PRECISA SER REELEITO PRESIDENTE DOS ESTADOS UNIDOS. ESPERO QUE PREVALEA O BOM SENSO NO ELEITOR AMERICANO. 

  • http://gatinha21 eliza nunes

    que historinha besta! que sexo!

  • http://turmadamonicajovem victoria machado

    adoro a turma da monica as estorinhas em quadrinhos sao de + gosto da magali ela come muita coisa nao sei como ela consegue quero que nunca acabe os gibis da turma da monica.

  • eduarda

    oi gente adoro amonica e o cebolinha bejos quer meu orkut

  • mega

    n acho muito q eles cresceram, pois continuam zoando, brincando… como na infânçia. acho q vc n leu da nº 2 para cima. compre e leia pois continuam infantis.(só um pouco menos infantis.) eu tenho do nº0 a nº23. e posso dizer q a revista jovem ta cada vez melhor. sou pre-adoslecente.

  • http://WWW.ORUT.COM thayna

    EU ACHEI BEM LEGAL MAS QUERIA VER A MONICA E O CEBOLINHA FAZENDO SEX NOSSA SERIA MUITO BOM EM ELES TRANSANDO NOSSA DÁ ATE TESÃO HUM!AHH

  • laura

    eu adoro os livros da turma da monica jovem tenho todos os capitulos quer dizer so ate o 35 ñ sei se é verdadeiro ou é fauso moro em um palacio que se localiza na america sentral so eu falo portuges eu aprende a falar portugues nos dvd e gibs da turma da monica é muito legal mesmo vc que nunca vio tem que ver a gora mesmo

  • bruno lucas dos santos

    Nunca tinha lido uma revista da turma da monica jovem, ediçao numero 16 ontem meu pai trouse uma revista para mim ,eu li e gostei d+ e agora quero conhecer as outrasediçoes

  • Fulana

    ODIEI,ODIEI,ODIEI,ODIEI,ODIEI,ODIEI,ODIEI, ODIEI,ODIEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEIIII ESSA VERSÃO “”"”"TURMA DA MÔNICA”"”"”

  • ellen

    Eu viciei na turma dos meus 7 anos aos 10.
    Até que eu cresci e não dei mais taanta importância,mas ainda curto.
    Embora o pessoal da turma da mônica jovem esteja com mais ou menos a mesma idade que eu (tô com 15 agora),eu achei meio antiquado ,sinceramente…
    Tudo bem o Cascão tomar banho de vez em quando(já passou da hora),mas…a Magali perdeu praticamente o apetite (constatado nas outras edições),o mais legal nela era aquele apetite desontrolado.
    E a Mônica sinceramente virou uma CHATA (podem tacar pedras),vira e mexe ela fica pedindo beijo pro Cebolinha (agora é Cebola),e o cebolinha praticamente perdeu aquela mania de grandeza,aquele lance de ser dono da rua.A mô disse que ele agora quer dominar o mundo,mas tô na 3ª edição e naada.
    Tô acompanhando pela net (não vou gastar dinheiro comprando né…prefiro gastar com um mangá do Naruto,Hunter x Hunter ou Negima,que,são mangás bem melhores),acho que o pessoal que colocou a turma da mônica jovem,não tinha idéia do impacto negativo que ela traria,apesar de ser um sucesso de vendas
    até agora tá sendo um FRACASSO em termos de qualidade
    =*

  • http://queroverisso ana flávia

    gosto muito da mônica amo ela ela está até famosa ja!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Rafaela

    Olhaa … eu leio e assino Turma da Mônica Jovem ..

    Eu discordo com vc..
    O Maurício só quis evoluir o seu público, despertando os adolescentes a leitura ..

    A respeito do beijo ..
    Até em desenhon animadoo personagens se beijam ..
    E a revista é recomendada para maiores de 10 anos .. que obviamente já sabem o que é beijar, namorar e tal ..

    Quando abri esse link ..”O beijo da Mônica e do Cebolinha na revista “Turma da Mônica Jovem” vi que estava escrito alguma coisa do tipo :
    -Maurício promete falar sobre sexo e drogas-

    Se vc entrar no site http://www.turmadamonicajovem.com.br vc vai ver um comentário do Maurício que diz a respeito desses assuntos ..

    Desculpa discorda assim ..

    Mas se eu enviar este link para o comunidade da Turma da Mônica Jovem os caras vão te linxa até .. Haha ..

    E .. com certeza aquele diálogo com o Franja e o Ângelo é montagem .. Essa página é da edição 1 .. Já que vc já viu deve ter percebido que o diálogo deles não é assim ..

    Obrigada pela sua atençãoo ..

    Rafa

    R: Oi Rafaela, obrigado pelo seu comentário, vozes discordantes e educadas são sempre bem-vindas. Quanto às suas observações, reforço o que eu já havia escrito em meu post: não sou o público-alvo dessa nova publicação do Maurício, que é inegavelmente talentoso, inclusive com relação ao tino para negócios. Ah sim: o diálogo é montagem sim, e um dos P.S. do texto faz menção a isso. Obrigado pela leitura e pela visita!

  • Master

    Chegou as bancas na semana passada a primeira edição da TMJ com roteiro do Marcelo Casarro, já adianto que não gosto de seus trabalhos, tavez só a minissérie Victory, mas na edição 6 ele fez algo que preste, conseguiu direcionar a Turma da Monica Jovem para os adolescentes como era a intenção desde o início.

    A revista tem drama, humor, aventura e romace na dose certa sem os exageros e infantilidades das edições anteriores.

    Os personagens estão mais maduros e parecem com adolescentes, tem dúvidas sobre seu futuro e no mundo apresentado nesta edição isso é mais complicado, a Monica voltou a ter sua personalidade clássica, doce e amarga ao mesmo tempo e com aquela força absurda só que numa versão mais madura e adulta, a boba apaixonada e irreal das edições anteriores sumiu de vez, mas ela ainda gosta do Cebolinha.

    Aparecem pela primeira vez as emoções dos personagens de forma correta e sem exageros, assim como suas dúvidas e anseios pelo futuro. Resumindo, os personagens tem carne e osso, o mais bem trabalhado é o Astronauta mas o mesmo vale para os outros personagens, principalmente a Monica e o Cebolinha.

    No mundo apresentado nesta edição a importância do Astronauta e da tecnologia trazida por ele e sua nave Bios é muito grande, não vou dar spoilers mas só vou dizer uma coisa, isso mudou tudo. Além do Astronauta aprecem também, como seus assistentes a Xabéu (segunda em comando) e o Zé Luis. É apresentada uma explicação totalmente lógica e real para esse fato.

    Os traços e cenarios estão bem detalhados e a narrativa cinematográfica estilo mangá aparece pela primeira vez, a revista consegue emocionar o leitor e ainda gera supense para a próxima edição.

    Apesar do Mauricio negar que essa edição é um recomeço da TMJ, eu não penso assim, eu vejo essa edição como a verdadeira número 1 da Turma da Monica Jovem. Resta saber se daqui pra frente a revista manterá fidelidade ao que foi apresentado nesta edição ou se a entrada de outros roteiristas não mudarão tudo de novo, o Mauricio já disse que esse mundo apresentado nesta edição sempre foi o pano de fundo da TMJ e que manterá essa continuidade daqui pra frente. Espero realmente que isso ocorra

    R: Fala Master, também compartilho da sua torcida para que a Turma da Mônica Jovem entre definitivamente nos eixos. Obrigado pela ótima resenha!

  • http://www.deusilusao.wordpress.com Barros

    Cara, como a Mônica tá gostóóóóóoósa!!

  • http://naifclub.blogspot.com/ puddingpop

    Eu não sei se alguém percebeu uma incrível semelhança entre o estilo desse video da Turma do Limoeiro e o recente piloto da série Aline da Globo… acho que há um link entre eles…

  • Jéssica

    Esse mundo está perdido!
    Como é que a turma da mônica foi se tornar assim,apenas um grupo de adolescentes normais sem característica pessoal alguma?
    Uma das piores coisas é o uso exagerado de diminutivos no gibi.E esse vídeo então?Mesmo não sendo da MSP vai me traumatizar pelo resto da minha vida…
    Mas enfim,parabéns, o seu blog está show de bola!

    R: Valeu, Jessica. Espero que você consiga superar os traumas trazidos por este post. ;D

  • ana michelly

    eu estou amando a turminha assim eu ja tenho a numero 1-2-3-4- e estou esperando a numero 5 eu sempre fui fanatica por turma da monica e agora principalmente eles sao d +

  • bianca

    gostei muito dessa nova ediçao!tambem gostei do grande esperado beijo!

  • Master

    Na edição 4, os roteiristas usando a personagem Denise, fizeram o Anjinho abandonar esse nome Ceuboy, conforme pedido dos leitores e agora ele usará o nome Angelo. Fora isso acabaram com essa história de pais samurais e a partir da ediçao 5 mudarão o rumo da revista, agora ela tratará da adolescência dos personagens, das dificuldades e aspirações que eles encontrarão nessa fase da vida, outro pedido dos leitores.

    Uma outra mudança importante, essa edição 5 será composta de 3 histórias diferentes e não iniciará um novo arco de aventuras na Turma da Monica Jovem, isso ficará para a edição 6.

    Mudram os traços do personagens pelo menos é o que mostra a capa divulgada hoje e a roupa das meninas esta comportada. Ou seja, aparentemente os personagens passaerão a ser adolescentes “normais”.

    Resumo da ópera, a partir da edição 5, que sairá esse mês tudo muda na Turma da Monica Jovem mesmo com as excelentes vendas dos 4 primeiros números e sem apagar o ocorrido nas edições anteriores.

    Detalhes no link:

    http://tmjovem.blogspot.com/2008/12/capa-da-edio-5.html

    R: Obrigado pelo comentário informativo, Master. Bom saber das novidades nos rumos dessa revista!

  • http://www.uff.br/revistaensaios Zé das Couves

    Fico pasmo em ver que os simpáticos e ingenuos personagens da Turma da Monica se tornaram adolescentes futeis e homogeneizados. Agora e tudo uma pirralhada identica.

    Li durante minha infancia toda os quadrinhos e vejo isso como a destruição de uma revistinha para diversão. Eles ficaram perversos.

    Ou será que fui eu também me refletindo nesses pensamentos de que todo adolescente é sonso?

    Céuboy… pqp… Anjinho q era o cara!
    PS: O Akira que mandou bem

    PS2: ainda nao li e ja to reclamando…

    R: Zé, às vezes sou levado mesmo a crer que todo adolescente comporta-se como um daqueles figurantes inúteis de Malhação. A realidade não é assim e há exceções, é claro, mas…

  • Vagner “Ligeirinho” Abreu

    Saudações Inagaki!

    Sou um leitor da série, e digo que a história, na minha opinião, é legal, e a idéia do crescimento dos personagens foi ótima.

    Quanto ao “politicamente correto”, penso que não devemos ser hipócritas e lembrar que se temos um filho, procuramos sempre mostrar a ele para não fazer as coisas erradas, não falar palavrão…

    A turma da mônica em si se auto-corrigiu há tempos atrás, diminuindo as brigas e perseguições que haviam.

    Mas a essência da história continua a mesma. Se quiser, lhe empreso os quatro quadrinhos que tenho ;)

    Sucesso!

    R: Vagner, valeu pelo comentário! É bom receber aqui as impressões de alguém que está acompanhando fielmente essa nova publicação do Maurício de Sousa. E, hey, obrigado pela oferta de empréstimo, da qual declinarei por enquanto. Um abraço!

  • http://metamorphosear.blogspot.com/ Helena Nascimento

    Aff, também não me agrada a idéia de um cascão traindo o movimento sem tomar banho, um cebolinha que fala corretamente, uma magali que não come muito…
    Mas tivemos a sorte de ler a versão infantil que SEM DÚVIDA deve ser infinitamente melhor que essa fase jovem.

  • http://www.oceuevermelho.wordpress.com mirianne

    Vi a revista esses dias, em uma banca do centro da cidade. Dei uma folheada e fiquei surpresa; achei mesmo engraçada. Mônica dizia ao pai algo como: “não bate na porta antes de entrar?”; e ele pedindo desculpas, dizendo que achava que a porta estava aberta. Foi só o que li, mas me deu a impressão de que vai seguindo o que tem de um tanto sobressalente na adolescência (espaço, sexualidade…).
    O que eu gostava na revista da “Turminha” da Mônica era de como surgiam algumas travessuras e como surgiam, também, algumas conseqüências – tudo numa brincadeira agradável. Não sei se a nova revista segue um tom semelhante, mas penso que idêntico não poderia ser: “cresceram” os personagens. Só espero que não tenham perdido a essência de criança,afinal um tanto de surpresa cai bem, mas uma descaracterização pesada mata qualquer senso de continuidade.
    Acho que deixa uma curiosidade e tanto pra quem lia as histórias da Turminha. Eu, pelo menos, fiquei bastante cusiosa! Curiosidade, aliás, atiçada pelo seu texto também.
    Abraço.

    R: Mirianne, tive a impressão de que se tratavam dos mesmos personagens mas em uma dimensão paralela. Uma realidade alternativa, em que atores diferentes protagonizam os personagens clássicos, porém com pouca coisa em comum com as temporadas anteriores de uma série. Um abraço!

  • Leandro

    Chacinaram a turma da Monica… Só a foto enviada pelo leitor Akira já diz tudo. Decepcionante.

  • http://www.vivercomexito.blogspot.com James

    Também to envelhecendo…

  • soraya

    Tb odiei a turma da monica assim.

  • http://aturistaacidental.wordpress.com/ Emília

    Pois é, Alexandre. Eu também fiquei horrorizada com a novidade…me alfabetizei lendo as revistinhas e até hoje dou minhas risadas com elas. Mas depois de ler o primeiro não achei tão ruim. Até ver o trecho mandado pelo Akira, brr…de arrepiar! Talvez ainda estejam tateando até achar o caminho certo, pelo menos espero!
    PS1: Srta Rosa, também era fã do Tio Patinhas, especialmente das viagens loucas, como para o Patuquistão, por exemplo, hehe…Deve vir daí a minha loucura pela Ásia Central :-D
    PS2: Alexandre, muito fofo o teu depoimento para a revista Sorrir!

    R: Emília, ainda preciso escrever um tributo às histórias antológicas que o Carl Barks escreveu mostrando o Tio Patinhas em lugares inusitados como o continente de Atlântida, as Cordilheiras dos Andes e a cidade de Quadradópolis… Em tempo: ah, já saiu a edição da Sorrir com um texto meu? Cool. Comprarei um exemplar pra mim. :D

  • http://www.victorsgomez.com Victor S. Gomez

    O mundo evolui e Maurício de Souza não ficaria para trás. Abraços

  • Anderson Moran

    Ola.. Concordo com você, minha infancia inteira e até hoje leio Gibi da mônica… Agora esta historia de mangá perdeu aquela magia, aquela coisa meio sem culpa, e ao mesmo tempo, cheia dela que sempre pautou as historinhas..

  • http://www.danielaraujo.net Daniel

    Nossa, que coisa.

    Não li as edições da Mônica jovem, só acompanhei as polêmicas por aí. Acho que não ia gostar, mas evidentemente preciso ler antes de dar opinião, né?

    Porém, achei curioso como as pessoas têm elogiado a arte desses gibis. Ora bolas, acredito que por mais que tenham deturpado as características dos personagens (e levando-se em conta que isso é importante, o que duvido), nada é mais grave do que o Maurício de Souza fez com a linguagem gráfica desses gibis.

    Durante quarenta anos, as HQs da Mônica foram depurando uma linguagem específica, o Maurício praticamente inventou uma maneira nova, brasileira, de desenhar HQs infantis. Podia ser uma maneira sujeita às maiores críticas, mas era original, algo louvável num meio com tantas referências para se imitar, de Carl Barks a Quino.

    E então, com essa mania de mangá, perdeu-se essa grande originalidade que os quadrinhos do Maurício de Souza tinham. Cometeu-se aqui justamente o que sempre foi evitado nas HQs tradicionais da Mônica: o submetimento a um modelo de fora, um modismo que vai deixar esses gibis, além de pouco interessantes graficamente, tremendamente datados. Caramba, tudo quanto é produto americano está correndo atrás desse visual, do Digimon aos Novos Titãs, sempre de maneira interesseira. O Maurício de Souza caiu na mesma armadilha e vendeu essa originalidade bacana que seus gibis tinham.

    Ou seja, achei esse lance de mangá da Mônica um lixo :)

    mas curti muito a turma do limoeiro! pena que os atores não estejam à altura das idéias e da edição.

    R: Daniel, concordo com suas ponderações a respeito do traço tipicamente tupiniquim dos gibis do Maurício de Sousa. E é claro, você está absolutamente certo quanto ao submetimento a padrões externos. Mas, admito, na condição de mero receptor acrítico, me diverti bastante com os traços dos personagens da Turma da Mônica Jovem. Quanto à Turma do Limoeiro, vá lá, achei ótima a atriz que faz a Mônica (em vários sentidos).

  • http://notanapauta.blogspot.com joêzer

    a erotização da mônica é visível. decotes, colarzinho com coelhinho da playboy, correntinha no tornozelo, minissaia de colegial. ah, desculpe, é a moda teen, né?
    céuboy?? tacada comercialesca de mau gosto que ainda teve o desplante de emagrecer a mônica.
    ousadia mesmo seria continuar com a personagem gordinha. e precisava ela ter ficado com jeito de luana piovani?

  • Anônimo

    Eu li o número 4. Meu choque foi semelhante ao seu. Mas pior, muito pior, foi ver a turma toda lutando artes marciais, viajando entre dimensões, voando em naves espaciais e sendo servidos por robôs.

    Mas foi hilariante saber que o Franjinha está namorando com a Marina, por exemplo. Reconhecer todo um universo com novas regras deu uma sensação legal, como uma reunião de dez anos de formautra. :D

    R: Cacetada. Franja e Marina estão namorando?! Caramba, essa Turma da Mônica Jovem tá parecendo episódio de Friends, Eva!

  • http://www.geocities.com/meucerebrodoi/ Paulo Torres

    Pouco antes de envelhecer Mônica se Cebolinha, o Maurício lançou alguns especiais da Tina como universitária-aventureira (a série “Tina e os Caçadores de Enigmas”), que é excelente! E tem cenas entre a Tina e o Rolo dignas de um seriado adolescente da Sony.

    R: Fala, Paulo! Sempre curti as histórias protagonizadas pela Tina, Rolo e Pipa. Boa dica, vou correr atrás dessas graphic novels.

  • http://blog.tatianagiustino.com.br Frederica Muniz Look the Sky Salgado da Silva

    Hahahahahaha
    Genteeeee a Mônica Sexy foi demais !!!
    Me senti velha também hehehe
    Adorei seu blog !
    Bjs

    R: Valeu, Frederica. Dei um pulo em seu blog e gostei bastante do seu post sobre o Denis Darzacq. Um abraço!

  • http://www.ivoviuauva.com.br Rubens

    Não deixa de ser interessante ver que ao mesmo tempo que a Turma da Mônica Jovem se tornou um sucesso entre a garotada mais adolescente, o público mais velho, na casa dos 30 anos, acha isso uma baita heresia. Não tem meio termo, ou você ama ou você odeia esses “muleke piranha”…
    Da minha parte, torço para que os roteiristas acertem o tom, porque realmente teve no número 1 aquela menção às reencarnações de samurais. Olha, doeu.

    R: Rubens, de minha parte sempre torcerei pelo sucesso das empreitadas do Maurício de Sousa. Vai ter coisas que não serão pro meu bico, mas enfim, ele tem créditos de sobra. Em tempo: invejei a URL sensacional que você conseguiu registrar. :D

  • http://www.avidasemmanual.blogspot.com Patricia Daltro

    Eu li o número 2. Gostei. Mas, não adianta, não é a turminha. Pelo menos, não com a qual eu cresci. Ficou legal, o traço, até a personalidade dos personagens, quero ler a seqüencia para ter uma opinião melhor.

    R: Folheei um outro número, Patricia, e confesso que gostei dos desenhos estilizados a la mangá, ficaram divertidos. Os roteiros, nem tanto. Mas ainda boto fé nos estúdios Maurício de Sousa.

  • http://ilhadeicaro.blogspot.com Orlando

    Vivo discutindo isso com um amigo, os tempos são tenebrosos. Essa onda politicamente correta traz consigo uma aura de chatice desenfreada… o pica-pau foi domesticado, ele, que pra mim era uma representação nietzscheana, agora é uma figura lamentável, enfadonha e submissa… temo a hora em que proibirão Chaves por conta dos cigarros de Seu Madruga e dos charutos do professor Girafales.

    R: Orlando, é verdade. Lobotomizaram a figura nietzscheana que havia no Pica-Pau. E a tua citação aos cigarros do Seu Madruga me fez lembrar daqueles cigarrinhos de chocolate da Pan, que encaretaram e agora viraram, pfuf, “rolinhos de chocolate ao leite da Pan”.

  • Luana

    No ínicio fiquei muito curiosa para saber como eles tinham ficado mas ao ver a magali magrinha parecendo uma modelo me desanimei,eu adorova a turma da monica e ainda adoro!fiquei com muita saudade da antiga agora!

    R: Luana, a Magali sempre teve um ótimo metabolismo. Mas, de fato, esse visual quase anoréxico dela na versão teen foi fogo…

  • http://www.fabikeller.blogspot.com Fabi Keller

    Eu ia dizer que era legal ver a evolução, que todo mundo cresce até as personagens de quadrinhos, mas pelo que pude ver por alto eles são uma versão piorada das crianças. A julgar pela capa da Mônica se atirando apra cima do Cebolinha, pelo visto teremos quadrinhos muito picantes, e logicamente as crianças também terão acesso. Tá precendo que vai descambar para quadrinhos porn!
    Acho que não gostei, prefiro as crianças!

    R: Não creio que chegará a tanto, Fabi. Mas eu também prefiro a versão “clássica”. :D

  • http://agorasodepois.blogspot.com/ Danielle

    Já pensou se a MAFALDA cresce e vira uma dona de casa comum e alienada???? Eu piro.

    R: Danielle, se fizessem essa abonimação, seria uma tira ainda mais triste do que aquela com o Calvin.

  • http://www.contraditorium.com cardoso

    Em todos esses anos nessa indústria vital é a primeira vez que consegui sair na frente com um post de cultura pop em relação ao Inagaki…

    http://www.carloscardoso.com/2008/08/15/estupraram-a-mnica/

    PS: Céuboy é um trocadilho com Hellboy. Foi um leitor que me deu o toque, também não consegui pescar essa abominação.

    R: Pois é, Cardoso. Nem sempre se ganha todas. :P Ah, eu pesquei esse trocadilho, mas não é mérito algum. Na verdade, talvez fosse melhor eu ter permanecido nas brumas da inguinorança.

  • http://comodiriasuamae.blogspot.com/ Pedro

    Mangá mesmo, é pouco… mto pouco.
    Agora, essas modificações no status quo, “pasteurizando” personagens cujas características os diferenciavam tanto vão, ou levar a criação de personagens TOTALMENTE diferentes dos antigos, com os mesmos nomes e novas características, ou a ausência de boas narrativas que os relacionem. Por que Monica e Cebolinha se pegando na edição 4 não dá, bicho…

    R: Pedro, a Mônica e o Cebolinha já tinham se “pegado” em algumas histórias que mostravam os personagens no futuro, por isso não me surpreendi muito com a “novidade”.

  • http://quandoissovirarumblog.blogspot.com Fabricio

    Quando vi pela primeira vez a chamada para o primeiro beijo da Mônica e do Cebolinha senti vergonha alheia e meu estômago revirou. Fiquei imaginando que eles vão namorar e um dia a Mônica vai dar pro Cebolinha, e tive uma sensação estranha do tipo “mas ela é quase uma irmã pra ele e ele vai comer a irmã?”. Ok, eles são só amigos (e aí a pegação é frenética, rola à vera) e eu devo estar mesmo muito velho pra algumas coisas. Mas não leio nem amarrado.

    See ya

    R: Fabricio, de fato estamos ficando muito velhos para certas coisas. É como escreveu o T.S. Eliot nos versos finais do meu poema predileto dele: “I grow old… I grow old… I shall wear the bottoms of my trousers rolled”.

  • Ana Margarites

    Inagaki, a imagem que o Akira indicou não é do gibi: foi alterada no photoshop.

    R: Obrigado pelo comentário, Ana. Acabei de atualizar o meu post!

  • http://prosaico20mg.wordpress.com Celinho

    Ina,
    Concordo totalmente, li a ediçao zero na internet na epoca do lançamento e nao gostei do que vi, tudo bem que era uma ediçao de lançamento e tem muita apresentaçao da nova realidade e pouco roteiro.. Ficamos velhos, é verdade, mas continuo gostando da antiga turminha (ai, so de chamar de antiga ja envelheço 12 meses..rs). Mas o pior pra mim é a onda do politicamente correto.. Vc tem que experimentar ir na Disney (qqr uma) e ver com tristeza o pato donald desaparecer de tudo – das promoçoes, das camisetas, de tudo que envolve a disney ele quase nao aparece.. tudo pq o temperamento raivoso dele não é P.C. Comprei um dvd com antigos desenhos do Donald datados dos anos 30 pra Carol (ela adora o Donald) e relembrei o qto gosto do pato maluco..
    Abraçao!

    R: Celinho, você lembrou bem do Donald. Prefiro enésimas vezes o Pato Donald ao Mickey Mouse, aquele ratinho colaborador do Coronel Cintra, tão chato e insípido quanto a namorada dele.

  • http://www.izabellaoc.blogspot.com Izabella

    Ficou linda a Mõnica.

  • http://www.patriciapirota.blogspot.com Patrícia Pirota

    Nossos ícones da infância já não são nada além de lembranças… E, mesmo que a “essência” das personagens tenha sido mantida, não é mais a mesma coisa. Não tem a mesma graça… Talvez porque, em nosso mundo adulto, perdemos um pouco da graça que nos acompanhava quando pequenos…Assim como essa “Mônica adulta”…
    Mas há que se parabenizar pela qualidade do quadrinho [exceto pelo roteiro, que eu acho que é inferior à qualidade do gráfico].

    Anyway, seus posts são sempre muito bons!

    R: Patrícia, concordo contigo: o roteiro está num nível inferior aos desenhos, que estão muito engraçados, citando os cacoetes da linguagem gráfica dos mangás. Um abraço!

  • http://vistadacidade.zip.net Didi

    Poxa… eu também não sou público-alvo não… Mas acho que compraria uma por curiosidade!

    R: Didi, creio que comprarei o número 4 só pra saber como é que os roteiristas narrarão o tal beijo entre a Mônica e o Cebolinha. B)

  • Amana

    ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhh bom…
    depois que eu recuperei o ritmo cardíaco, fui ler o que vc escreveu ao lado da tira do calvim… ufa… eu ja tava realmente revoltada com o tio bill…heheheh

    R: Amana, embora aquela tira não tenha sido criada pelo Bill Watterson, creio que permanece sendo um belo trabalho bastante criativo e pertinente. Embora seja triste pra diacho. :’( Em tempo: você sabe que a última tira oficial do Calvin é esta aqui, né? Um beijo!

  • Amana

    meu coração caiu… eu moro fora e ja tinha ouvido que ia sair essa novidade e fiquei bem ansiosa e curiosa qdo soube, mas saber q fizeram isso aos personagens foi um choque. não acredito que é assim q a turma da mônica vai ser lembrada daqui uns tempos… é tããão apelativo… tão parecido com tudo que ja existe… que pena :( e eu nunca tinha visto aquela tira do calvin!!! meu deus! qdo baixei a tela e vi o ultimo quadrinho, tomei um susto tão grande que vc não imagina!! SIM! É a tira mais triste da história dos quadrinhos!dá vontade de gritar nãããããããããããããããããoooooooooo….

  • http://maroma.wordpress.com/ Marília

    Confesso que também não curto essa onda “jovem”… nãe é à toa que meus fios brancos estão se proliferando.

    R: Marília, e o pior é que já tenho uns fios brancos na minha barba… :roll:

  • Te

    É Inagaki, como coisas assim fazem a gente se sentir velho. Essa tira do Calvin me fez lembrar o texto sobre a Mafalda e seus amigos adultos
    http://lists.econ.utah.edu/pipermail/reconquista-popular/2005-January/023725.html
    Com a diferença de que a turma não mudou apesar da vida e do tempo.

    R: Te, obrigado pelo link para esse texto, que eu ainda não conhecia!

  • Leo-Kun

    Orra meo… Eu que nunca fui grande fã da Turma da Mônica fiquei muito triste com essa versão teen. A quem defenda o novo estilo, mas eu ainda vejo a Mônica como a gorducha e dentuça.

    Li alguns dos comentários, não todos porque são muitos, e devo concordar que não se fazem heróis e vilões como antigamente. Era legal ter um pouco de má intenção, sangue e coisas do tipo. Pelo menos tínhamos noção de que nem todo o mundo era bom, as crianças de hoje vão sofrer com toda essa falsa bondade que vem sendo ensinada na Tv e talvez nos quadrinhos (como não leio quadrinhos não posso afirmar).

    Abraço e parabéns pelo post.

    R: Leo-Kun, o chato é que o que é veiculado nas TVs de um jeito ou outro distorce a realidade, não? Se de um lado há esse mundo asséptico politicamente correto, do outro há os noticiários sensacionalistas que incitam o medo generalizado por aí. Um abraço!

  • http://www.leriado.net Leriado

    Me lembrei dos meu tempo de criança… saudade!

  • http://www.amenidadesebobajadas.blogspot.com Daniel F. Silva

    Esse papo do neo-Anjinho com o Franjinha mostrado aqui me parece uma montagem daquelas bem malfeitas.

    Mas taí um excelente questionamento: que fim levaram Bidu e Floquinho? Sem falar no Mingau e no Monicão…

    R: De fato, Daniel. Acrescentei mais um P.S. ao meu post. Em tempo: puxa vida, eu realmente não lia os gibis da Mônica há tempos. Nem sabia que havia um Monicão!

  • Andre Nunes

    A onda do politicamente correto é uma idiotice fundamentalista. Pronto! Opinião clara, que venham os ataques. Lembro de uma educadora que criticava o Pica Pau como se fosse o maior vilão do mundo. Estas e outras idéias para “proteger” nossas crianças está levando até a reformulação da música “Atirei o pau no gato”. São atitudes tão radicais que deixam a impressão que a nossa geração é composta majoritariamente por jovens maus e violentos. Esqueceram que os filhos da Guerra Fria e os que viram os pais no Vietnã são totalmente contrários as guerras e críticos ferozes da violência de nossas cidades. Hoje temos redes imensas de amigos, conhecemos muito mais pessoas durante a juventude e até namoramos mais. Se a sociedade tem problemas que eles sejam estudados. Deturpar todos os defeitos de uma turminha tão divertida como a da Mônica é partir para a Eugênia social.

    R: Aliás, André, você me fez lembrar de uma idéia de post que está arquivada há tempos: falar de aberrações como o “Não Atire o Pau no Gato” citado por você. Mas olhe, gostei bastante do seu comentário: sincero, sem firulas e direto ao ponto.

  • Mariângela de POA

    Ina,a minha filha(10) adora esta turma desde os 3,4,quando eu lia em voz alta para ela. Segue lendo até hoje e se mostra interessada pela turma jovem porém prefere as aventuras no bairro do limoeiro , até hoje quando ela é colocada para dormir eu e o pai dela desejamos boa noite e que o “Anjinho a proteja”,leia-se, o anjinho da turma.Agora,Céuboy,aí não vai dar mesmo,vou ter que apelar para outra “proteção” eihn…beijo para ti,adorei ver este teu blog sendo atualizado novamente, teu texto é tão bom que sentimos falta mesmo!

    R: Mariângela, Céuboy definitivamente ninguém merece! :D Valeu pelas palavras gentis, um beijão!

  • http://nerdson.com Karlisson

    Subverteram nossos ídolos.

    Ainda que mudanças sutis sejam bem-vindas, não é uma brilhante teoria supor que desenhos politicamente incorretos influenciam o comportamento das crianças. Se isso fosse verdade, hoje em dia eu não gostaria de tomar banho, estaria juntando moedas numa caixa-forte e fugindo de cobradores (ANACOZECA). =P

    A graça reside justamente no politicamente incorreto. Sorte que temos quadrinistas como André Dahmer ;)

    Abraço, Inagaki!

    R: Karlisson, seu comentário me fez lembrar daquela frase que já encontrei em diversos lugares por aí, do humorista Marcus Brigstocke: “Video-games não influenciam crianças. Quer dizer, se o Pac-man tivesse influenciando a nossa geração, estaríamos todos correndo em salas escuras, mastigando pilulas mágicas e escutando músicas eletrônicas repetitivas”. Menos mal que temos Dahmer, Branco e Sieber, não? Aquelabraço!

  • http://www.circulando.com Cláudio Rúbio

    Deve ser vingança do Maurício por a gente haver crescido e parado de comprar os gibis dele.

    É o castigo que nos cabe por havermos nos tornado adultos infiéis. Maurício de Sousa nos traiu agora, exatamente como a Maria Bruaca traiu o Tenório, em Pantanal. Não adianta ficarmos reclamando dos chifres. Já tínhamos outra família, paralela, o Maurício descobriu, deu o troco.

    Vai passar… Vai passar…

    R: Cláudio, taí uma boa tese. Uma vez que nós, crianças crescidas, deixamos de lado nossas compras semanais de gibis da turma da Mônica, nada mais justo do que conspurcar nossas memórias afetivas com a criação de uma versão teen que jogou por terra todas as principais características de cada um dos nossos personagens queridos. Justo.

  • luana

    Caramba, confesso que isso me afetou um pouco.. Já sabia da existência dessa “Turma da Mônica Jovem” mas não cheguei a ler nenhuma ainda. E não consigo entender qual vai ser a graça da revista já que todos os personagens perderam a sua “alma” ( e por favor, que diabos é esse papo de “muleke piranha”?? assim não dá nem vontade de ler uma edição sequer… arghh). Pra falar a verdade eu ainda leio as minhas antigas revistinhas, compro novas esporadicamente e continuo me divertindo do msm modo… Axo q vou continuar fiél aos personagens infantis…

    R: Luana, eu nem tenho moral pra me queixar do Maurício. Só estava comprando as edições especiais do Carl Barks, e uma e outra edição da Conrad de Sandman. XX(

  • Rodrigo

    grande Ina!
    Bem, eu vi já além da edição 0, e o primeiro “arco” foi de doer.
    Inventaram dos pais dos nossos intrépidos e queridos personagens serem reencarnações de samurais (!!!) e colocaram uma vilã para eles combaterem no pior estilo power rangers de ser.
    E eu ainda acho que a série teen do maurício de souza já existia e era excelente, com rolo e tina, não havia a necessidade de envelhecer a turminha se era pra ter algo teen.
    Mas o que me matou mais de desgosto foi que todos, sem excessão mudaram, fazendo que o principal foco da linha tradicional, das diferenças entre as pessoas, parecesse uma busca incessante de se tornar igual a todos. Parece que a mulecada do limoeiro tem mais medo de ser diferente agora do que ter uma personalidade única. Ou seja, realmente “pausterizaram” personagens tão carismáticos à adolescentes “comuns”. (se comum é seguir o estilo malhação de ser)
    Espero mesmo que o maurício consiga tornar essa frente um sucesso, mas de preferencia com algo mais cabeça e menos modinha.
    AH.. e as gírias são terríveis, deveriam ter pesquisado um pouco mais ao meu ver. =(

    R: Virgemaria, Rodrigo: reencarnações de samurais?? The horror, the horror. XX(

  • http://www.verbeatblogs.org/stuckinsac Leila

    Eu era leitora dos quadrinhos da Monica e Cebolinha nos anos 70 e adorei essa versao jovem da Monica. Nao vejo problema em reformular e adaptar a revista aos novos tempos, contanto que o proprio autor aprove, e os novos leitores gostem.

    R: Leila, como a versão “clássica” permanece firme e forte, está ok para mim. Não gostei do que fizeram com os personagens, mas enfim, não são histórias pro meu bico mesmo. ;)

  • http://www.carvoeiro.com.br Patrícia Carvoeiro

    “… na verdade o que mais me aflige é saber o que fizeram do Bidu, do Floquinho e do Bugu.” Nossa, é mesmo! E o Mingau?? Eu tenho um gato com este nome por causa dele!
    E é mesmo estranho pensar em ver estes personagens que me acompanharam boa parte da infância e pré-adolescência sem as suas características principais e essenciais.
    Pior que quando a gente se mostra chateado, nos chamam de conservadores ou estagnados.
    Não sei se é isso, mas, definitivamente, ver o Cascão tomar banho não me deixa nada nostálgica. E esta capa com a Mônica estilo mocinha sensual, então?
    E, se a turminha está com esta idade, o que teria acontecido à turma da Tina e do Rolo, que eu também adorava? Teriam todos se convertido ao stablishment, o Rolo e o Zecão agora como executivos do mundo corporativo? A Tina e a Pipa tentando conciliar a tríade carreira-esposa-mãe? E o Astronauta? Gente, eu adorava todos estes personagens, tomara que eles não recebam estas reinterpretações.
    Mas enfim, eu ainda não li, só mesmo folheei, como você. Quem sabe se eu pegar um dia pra ler, ache até legal. Quem sabe, quem sabe…

    R: Patrícia, como gato tem sete vidas, creio que o Mingau sobreviveria em melhores condições que os cachorrinhos da turma. :D Sobre os destinos dos demais personagens, o Cardoso teceu umas hipóteses interessantes: “O Chico Bento entrou pro MST e arrubou uma gleba no Paranaguá… Penadinho cumpriu sua missão e foi para o céu, junto com o Patrick Swayze… Pelezinho joga pelo Inter de Milão, comeu a Cicarelli mas no final voltou pra namorada de infância, peixe…”. :P

  • http://www.cocuruto.com leo seabra

    e a Monica agora é uma popozuda, o cebolinha um marombado metrossexual…o quê mais? Certamente feito para um publico-alvo diferente, mas disvirtuou completamente…

    R: Malhação mode on, Leo!

  • http://anny-linhaozzy.blogspot.com/ Anna

    Inagaki:
    Quando comprei a revista, fui logo olhando como tinham resolvido os desenhos.
    Gosto de desenhos bonitos, se possível. Então gostei do desenho da Mônica.Mas o cabelo do Cascão! Deixei de comprar a revista. As histórias? Não me convençeram. Não me distrairam. Ô pena!

    R: Anna, eu boto fé de que os roteiristas ainda haverão de acertar a mão, após anos de bons serviços prestados nos estúdios Maurício de Sousa. Mas, como essa publicação definitivamente é para um público-alvo ao qual não pertenço…

  • http://www.desenhostortos.blogspot.com Ricardo Sanchez

    no numero 1 o cascão bate uma punheta e mela o banheiro toda, fazendo o pai escorregar, e diz q era gel

    R: Ricardo, você precisa desenhar essa tira que você descreveu a la Quem Vai Ficar com Mary. Aliás, muito boas as tiras do teu blog!

  • Fabiana

    Olá! Trabalho em uma Assesoria de Imprensa e estamos atualizando o mailing de Blogs! Vi a matéria na revista Epoca,gostaria do e-mail de vcs se possivel.
    Obrigada!

  • http://www.loucaporblog.wordpress claudia lyra

    Cara… onde está a tecla sap pra que eu possa entender esse diálogo entre “Franja” e “Céuboy” (aff… horríveis esses nomes…)?!?

    Ps – A tira mais triste de todos os tempos sempre me faz chorar.

    R: Claudia, é impressionante como essa tira do Calvin toca as pessoas. Hoje mesmo encontrei via Technorati o post da Pil no blog Temperos da Vida citando-a como a “tirinha que nunca deveria ter sido criada”…

  • http://languageglasses.blogspot.com/ Adriana Karnal

    Se a Mônica está teen, como será que estão a Tina e o Rolo?Cinquentões?
    Parabéns pelo blog!

    R: Adriana, na verdade o que mais me aflige é saber o que fizeram do Bidu, do Floquinho e do Bugu… XX(

  • Rex

    Mães zelosas, pais corujas. Vejam como as águas de repente ficam sujas.

    Ou limpas, no caso do Cascão.

    R: Rex, boa pescaria dos versos do Gil! “Ensinai, meu pai o quê, eu ainda não sei”…

  • http://clindenblog.blogspot.com Carol

    Eu concordo com todo o coro que diz que a coisa é apelação comercial. Acho que se a idéia fosse de fato envelhecer os personagens, eles poderiam ter de fato “crescido”. Acho que deixar uma linha mangá-teen convivendo com os quadrinhos “clássicos” é esquizofrênico. Veja os grandes personagens de quadrinhos – todos existem há mil anos sem esses grilos de “ter que crescer”. Acho que o Mauricio de Sousa teria sido mais feliz se tivesse criado uma nova galeria de pensonagens mangá-teen, de repente primos mais velhos ou algo assim, que pudessem em um especial de Natal ou outro inclusive conviver juntos!

    R: Carol, o Maurício até poderia ter criado uma nova galeria de personagens teen, mas eles jamais teriam o mesmo apelo comercial da turma da Mônica. É, assumidamente, uma jogada comercial. E que, diga-se de passagem, está sendo muito bem sucedida até o momento.

  • http://blog.maraschino.org Giglio

    Inagaki, essa montagem de texto do C(r)éuboy foi a parada MAIS ASSUSTADORA DO MILÊNIO. :P

    R: Giglio, habla sério, mermón: pusta parada iraaaaaada! 88|

  • MaryMeg

    Bom, eu não resisti e continuei comprando cada edição. É meio masoquista, ao mesmo tempo que é um tipo de fé cega no Maurício. Na ultima edição ele até disse que algumas das sugestões serão acatadas e tals, veremos.

    Mas eu tenho um ponto positivo pra destacar: o tanto que os personagens se divertem com o nonsense (fraco) das histórias. Eles se zoam e riem com as situações ridículas muitas vezes. Acho que me reconheci.

    Bom te ver de volta nesse canto com mais frequencia :) tava orfã

    R: Oi Mary, pois é; estou me policiando para atualizar este blog com maior freqüência. :p Quanto às novas histórias, aos poucos os roteiristas parece que estão acertando o tom, pelo que já ouvi falar por aí. Ficarei na torcida. ;)

  • camila

    Meu Deus..
    Daqui a pouco vem os quadrinhos eróticos!!!

    R: Camila, não vai chegar a tanto. A não ser nas fanfictions produzidas por certos desocupados. 88|

  • http://www.meuveneno.com Carol

    Acho que é bacana a idéia, mas não a sua execução. Para os fãs deve ter sido um p*ta choque, para mim foi! Peguei a primeira edição na mão ávida por ver a Mônica meio gordinha, meio baixinha e meio dentuça batendo no Cebolinha… E agora o Cebolinha nem chama mais Cebolinha!

    Choque!

    R: Carol, compartilho do seu choque. Ver que o Cebolinha agora é Cebola, do mesmo modo que agora devemos chamar o Franjinha de Franja, foi estranho. Questão de costume, mas… |-|

  • http://www.abordagempolicial.com Danillo Ferreira

    Pois é… Maurício de Souza fez o que tentaram fazer no filme “Dom”, onde uma criaram uma versão atualizada e artificial do grande “Dom Casmurro”, de Machado de Assis. O problema da Turma da Mônica é mais grave, já que é o próprio autor que se propõe a realizar um intento que, desculpe-me o julgamento, me cheira a mero anseio comercial. Resta-me tirar a poeira dos antigos gibis e relê-los, já que a obra muitas vezes supera o autor…

    R: Danillo, não ousei assistir a essa adaptação cinematográfica. De minha parte, prefiro reler os clássicos como a sátira de Romeu & Julieta (que, diga-se de passagem, já apresentava beijo de Mônica e Cebolinha!).

  • http://www.poltrona.tv/ Ale Rocha

    O beijo vai ser o terror dos puristas.

    O Cartoon Network está interessado em produzir desenhos desta nova fase da Turma da Mônica.

    R: Ale, na verdade algumas histórias anteriores, que mostravam a turma da Mônica quando adultos, já prenunciavam que um dia Mônica e Cebolinha teriam algum interesse amoroso. Eu, pessoalmente, não me estarreço com isso; já dava pra perceber que havia uma certa tensão amorosa naquelas brigas entre os dois… :D

  • http://monthiel.blogspot.com Monthiel

    Olha, parabéns pelo post viu. Muito bem escrito.

    Eu não costumava acompanhar os gibis da turma da mônica, no entanto, não acho que os personagens deveriam crescer. Acho que a história deveria ser mantida para crianças. Afinal, agora ele terá de parar de fazer a versão infantil. Já que, na cabeça de todos, os personagens já cresceram.

    Abraços e convido e lhe convido a conhecer meu blog…

    Até,
    Monthiel

    R: Olá Monthiel, muito bom o seu post sobre como se tornar uma pessoa mais organizada. Anotei as dicas por aqui. ;)

  • http://senhoritarosa.wordpress.com Srta. Rosa

    Ah Ina, eu também vi isso; Céuboy é horrível. Mas minha filha que é pré-adolescente, curte (eu concordo com essa sua crítica a uma coisa meio ‘pausteurizada’).

    Nasci na primeira metade dos setenta, e, como você também tenho minhas nostalgias… hehe. Outro dia vi um adesivo do Mancha Negra (é eu lia também Tio Patinhas) na Banca de jornal e por pouco não choro, hahaha…

    R: Srta. Rosa, acabei de adquirir o número 41 das Obras Completas de Carl Barks, recentemente publicadas pela Abril. Recomendo: seria um presente e tanto para a sua filha!

  • http://www.perdidanatraducao.wordpress.com Nathália

    Jesus amado, Cebolinha e Mônica vão se beijar? Essa vou ter que comprar! hehehe

    Ô, Alexandre, eu também cresci com a Mônica e sua turma e sinto o mesmo que você. Para ser sincera, nem sabia que já havia sido lançada essa edição, mas parabenizo o Maurício pela coragem: ao conquistar um novo mercado, ele corre o risco de perder os mais fiéis leitores. Bem, tudo tem um preço, não é mesmo? Pena que esse preço também envolve a porqueira do Cascão, a fome da Magali, os ‘eles’ do Cebolinha e o Sansão da Mônica. Mas admito: fiquei curiosa. Vou acabar conferindo!

    Excelente post, mais uma vez!
    Beijos!

    R: Nathália, independentemente dessa publicação, os títulos com a turma “clássica” da Mônica permanecem firmes e fortes. O tino comercial da Maurício de Sousa Produções permanece forte, e o próximo passo, já anunciado, serão desenhos no Cartoon Network. Apesar de discordar do rumo “teen” dos personagens tradicionais, não posso deixar de elogiar o Maurício por desbravar novos territórios para o quadrinho brasileiro. Um beijabraço!

  • http://eumeuoutro.blogspot.com/ Fred Matos

    “eu definitivamente não pertenço ao target dessa publicação.”

    Eu também não, meu amigo, mas fiquei curiosíssimo, porque não tinha nem idéia destas coisas que estou sabendo através de você.
    Abração.

    R: Pois é, meu caro Fred. O mundo vive nos surpreendendo…

  • http://marcuspessoa.net Marcus

    Lindo post.

    Nossos heróis morreram de overdose de bom-mocismo.

    Pra sorte das crianças atuais, há uma nova geração de desenhos animados inteligentes na TV, que as tratam como gente e não como massa de manobra.

    R: Marcus, você resumiu com precisão a história toda: “Nossos heróis morreram de overdose de bom-mocismo”. Perfeito! Essa onda politicamente correta é a kriptonita dos nossos tempos. /em>

  • http://www.luizandrioli.com Luiz Andrioli

    Amigo

    Que coisa, hein? Não imaginava que isso pudesse acontecer com os nossos ícones de infância. Será que envelhecemos? Ou o mundo mudou e não nos contaram?

    Belo texto!

    Abraços

    R: Mr. Andrioli, que bom encontrá-lo por aqui, rapaz. Quem é vivo sempre desaparece! B) Um abração!

  • Akira

    A melhor figura dessa série da Turma da Mônica.

    http://img135.imageshack.us/img135/78/122732195372ku5.jpg

    R: Akira, muito obrigado por compartilhar essa imagem. Farei um update no meu post. :)

  • http://nodoadouniverso.com Bruno Pedrassani

    Cara, definitivamente não sou o target também. Aliás, todos os desenhos, hqs, filmes; tudo está ficando politicamente correto. Sinceramente, acho que não funciona. Quando eu assitia desenhos, havia sangue, cabeças rolando eventualmente, e não me tornei um serial killer por isso. Hoje não pode nada disso, e ainda assim vemos as mesmas cagadas acontecendo pelo mundo. Politicamente correto é só uma maneira da própria sociedade se esconder dos próprios erros. Se esconder, não resolvê-los. E com isso, acabam com nossos heróis e nossos quadrinhos. Eu também sempre fui devorador dos quadrinhos da turma da mônica.

    R: Bruno, outro dia vi o conselho de um especialista no Fantástico dando conselhos de higiene. Recomendando, por exemplo, que as escovas de dentes passem a ser guardadas em copos com água oxigenada. Pareceram-me ser conselhos úteis. Porém… Após milhões de anos de civilização, será realmente necessária tanta assepsia? Penso que certos conselhos daquele quadro do Doutor Bactéria, se seguidos à risca, estimulam o surgimento de outros seguidores de Michael Jackson e Howard Hughes, que tornaram-se obcecados por limpeza em certas fases de sua vida. Do mesmo modo, penso que essas nóias com certos termos, expressões e comportamentos não ajudam a resolver as causas básicas dos problemas da sociedade contemporânea. Arre!

  • Cleber

    Discordo que os personagens tenham deixado suas personalidades de fora. Também tinha achado isso quando lí o primeiro número da nova revista. Mas a partir do segundo pode-se ver que a personalidade da infância sempre volta à tona.
    Na verdade as historinhas são bem parecidas, no sentido do humor e piadinhas, apesar de o estilo ser diferente.
    Gostei muito deles jovens.
    Tente ler os próximos números e depois poste aqui novamente… hehe!

    R: Cleber, eu só li o número zero (disponível no site da Turma da Mônica Jovem) e folheei o número 1 na Fnac. Espero que você esteja certo. :D

Pense Nisso! Alexandre Inagaki

Alexandre Inagaki é jornalista e consultor de comunicação em mídias digitais. É japaraguaio, cínico cênico. torcedor do Guarani Futebol Clube e futuro fundador do Clube dos Procrastinadores Anônimos. Já plantou semente de feijão em algodão, criou um tamagotchi (que acabou morrendo de fome) e mantém este blog. Luta para ser considerado mais do que um rosto bonitinho e não leva a sério pessoas que falam de si mesmas na terceira pessoa.

Parceiros

Mantra

A vida é boa e cheia de possibilidades.
A vida é boa e cheia de possibilidades.
A vida é boa e cheia de possibilidades.