Carnaval: luxo, lixo, folia e sustentabilidade

Por Alexandre Inagakisexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Insônia é uma companheira fiel que me acompanha há anos. E uma das lembranças mais remotas de minhas noites acordado remonta da época em que eu assistia aos desfiles do Carnaval do Rio de Janeiro, antes mesmo da criação do Sambódromo, quando todas as principais escolas de samba se apresentavam num dia só. Era uma época na qual canais de TV passavam as madrugadas fora do ar, só exibindo estática e barulhos de chiado (como bem lembrou o Kid em um post sobre sons da nossa infância que não existem mais). O desfile das escolas de samba era, pois, um evento único do ano no qual minha insônia era preenchida por imagens fantásticas de alegorias luxuosas, passistas batucando e mulheres alegremente desinibidas.

Tendo guardado em minhas memórias infantis esses sons e imagens, é fácil de entender meu costume de acompanhar todo ano os desfiles, e de ter me tornado fã de carnavalescos como Joãosinho Trinta, Fernando Pinto, Renato Lage e Paulo Barros, e mestres de bateria como Odilon, Jorjão (criador da paradinha funk) e Ciça.

A alegoria do Cristo Redentor no desfile polêmico da Beija-Flor de Joãosinho Trinta em 1989.
O Cristo Redentor censurado no desfile da Beija-Flor de Joãosinho Trinta em 1989.

Sai do lixo a pobreza/ Euforia que consome/ Se ficar o rato pega/ Se cair urubu come”

Lembrando de carnavais antológicos como o Ziriguidum 2011 da Mocidade Independente, o Chuê Chuá da mesma Padre Miguel, o Sonho da Criação da Unidos da Tijuca, a Kizomba da Vila Isabel e o Explode Coração da Salgueiro, algo que sempre me deixava embasbacado era a maneira como carnavalescos reaproveitavam materiais e os transformavam em carros alegóricos e fantasias de encher os olhos. Mas o desfile que mais me marcou foi, sem dúvida nenhuma, “Ratos e Urubus, Larguem a Minha Fantasia”, da Beija-Flor, no qual Joãosinho Trinta reinventou o carnaval criando alas e alegorias a partir de trapos, farrapos e sacos de lixo, numa versão foliã daquele poema concreto do Augusto de Campos.

Numa época na qual folia é sinônimo de samba, suor, abadás, frevo, flertes e diversão descompromissada, é possível conciliar as tentações do Carnaval com sustentabilidade? Ôpa! No bloco do folião consciente vale a pena repassar algumas dicas simples, como desligar da tomada todos os aparelhos eletrônicos (evitando assim o consumo de energia na função stand-by) e pegar leve no consumo de água, tomando banhos menos demorados e fechando a torneira enquanto se escova os dentes (conselho especial para aqueles que já penaram com o problema clássico de cidades praianas e do interior, de chuveiros que subitamente secam durante o feriadão por conta da horda de turistas).

No Rio de Janeiro, merece destaque a ação que a Coca-Cola Brasil realizará, pelo quinto ano consecutivo, em parceria com a Riotur, Liesa e Comlurb: a coleta seletiva na Sapucaí, com 80 catadores de 14 cooperativas, uniformizados com camisas feitas com tecidos de PET reciclado. Em 2011, foram recolhidas mais de 83,4 toneladas de materiais recicláveis. Um número nada desprezível, que faz a gente pensar na quantidade de lixo que produzimos. Sabia que, segundo dados da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, cada brasileiro produz em média 378 quilos de lixo anuais?

Parafraseando “Ilha das Flores”, o curta-metragem clássico de Jorge Furtado, o ser humano se diferencia de outros animais por ter o telencéfalo altamente desenvolvido, o polegar opositor e a capacidade de pensar e raciocinar sobre os seus atos. E, embora no Carnaval o superego e a racionalidade de alguns acabe sendo dissolvida em meio a farras e festas, é sempre bom buscar manter um mínimo de consciência sobre as consequências de tudo o que fazemos. E aí recordo aquela frase de W. H. Auden: “Milhares viveram sem amor, ninguém sem água.”

Pense Nisso!
Alexandre Inagaki

Alexandre Inagaki é jornalista, consultor de projetos de comunicação digital, japaraguaio, cínico cênico, poeta bissexto, air drummer, fã de Cortázar, Cabral, Mizoguchi, Gaiman e Hitchcock, torcedor do Guarani Futebol Clube, leonino e futuro fundador do Clube dos Procrastinadores Anônimos, não necessariamente nesta ordem.

Categorias:

Comentários do Facebook

Comentários do Blog

  • http://blog.planilhasexcel.com/ Dicas de Excel

    Todo mundo sabe que no carnaval os foliões geram muita sujeira, ao jogar copos e embalagens de comida na rua, confetes, serpentinas, etc. Mas o que me impressionou foi ver quanto lixo é gerado e jogado na rua pelas barraquinhas que produzem comida, o que poderia ser fiscalizado pelas prefeituras

  • http://twitter.com/a_conci André Conci

    Filme: O artista
    Diretor: Michel Hazanacicius
    Ator: Jean Dujardin
    Atriz: Meryl Streep
    Ator Coadjuvante: ?
    Atriz Coadjuvante: Octavia Spencer
    Roteiro Original: O artista
    Longa de Animação: TinTin
    Fotografia: O artista
    Montagem: O artista
    Direção de Arte: Hugo Cabret

  • Emerson

    Eu acho o carnaval muito Pão e Circo… mas o povo gosta e é feliz. Acaba sendo válido!

    A Sábia Ignorância:
    http://asabiaignorancia.blogspot.com/ 

  • Sacaba

    Oii! Sempre entro no blog.. mas confesso que morro de priguiça de comentar!! Mas agora criei um e vejo como é gostoso receber comentários… Conheci aqui pelo Manual do Cafa e fiz meu blog inspirado sobre o mesmo. Ainda esta muito no começo… mas queria que me ajudasse a divulgar ou visitasse, sei lá.. sei q é muito chato fazer isso… mas.. hahha nao sei por onde começar pra divulga-lo
    http://www.sacabaa.blogspot.com

  • André Marques

    Sustentabilidade e carnaval, váriaveis que ainda não se combinam! Ótimo post vlw…

  • ROMO SIPRIANO

    Muito bom:
    Conteudo da Internet pra Voce! Deus te abençoe Louvor mensagens palavra do cêu e Muito Mais!!! NAO DEIXE DE VISITAR! http://bertiogamaisfeliz.blogspot.com/

  • http://www.facebook.com/people/Suely-Sandra-Ferreira/100002427250468 Suely Sandra Ferreira

    Adorei tudo, o artigo, o autor, o blog e que mais vier. Me fez lembra a Nina que bombou outro dia na net por defender o SUS e a LIBERDADE e a turma da deixa disso achou que ela tava defendendo o Lula e afins…Enfim na net como na vida estamos carentes de livres pensadores como vc’s e que venham muitos maissss, abção  Alexandre e globeleze-se!

  • Pingback: Os infográficos que você precisa para curtir o carnaval no seu computador « « Site da Educação Site da Educação

  • http://twitter.com/liratwist Bruno Lira

    Muito bom :)

Pense Nisso! Alexandre Inagaki

Alexandre Inagaki é jornalista e consultor de comunicação em mídias digitais. É japaraguaio, cínico cênico. torcedor do Guarani Futebol Clube e futuro fundador do Clube dos Procrastinadores Anônimos. Já plantou semente de feijão em algodão, criou um tamagotchi (que acabou morrendo de fome) e mantém este blog. Luta para ser considerado mais do que um rosto bonitinho e não leva a sério pessoas que falam de si mesmas na terceira pessoa.

Parceiros

Mantra

A vida é boa e cheia de possibilidades.
A vida é boa e cheia de possibilidades.
A vida é boa e cheia de possibilidades.